Por: diario | 2 meses atrás

Alunos do curso de Arquitetura e Urbanismo da Unidavi aceitaram o desafio de criar projetos de melhorias para o Centro Educacional Prefeito Luis Adelar Soldatelli (CEPLAS), no bairro Barragem, em Rio do Sul. Com quase 21 horas de trabalho ininterrupto, a Virada Criativa proposta pela coordenação do curso começou às 14h de sexta-feira (6) e foi encerrada apenas no dia seguinte, às 11h30, sem parada durante a noite e madrugada.

Cerca de 150 alunos participaram do trabalho, integrando diferentes turmas do curso em nove núcleos. As propostas visam melhorias nas áreas de lazer do CEPLAS como o anfiteatro, espaço interno e também externo da unidade de ensino. A proposta, segundo a coordenadora do curso, Maristela Macedo Poleza, é de melhorar os espaços coletivos da unidade, sem apresentar grande custo para a unidade e incentivando as atividades de pesquisa e extensão obrigatória aos alunos para atividades acadêmicas.

“Sabemos da dificuldade de lazer para aquela unidade, que tem em torno de 800 alunos. A proposta de trabalho já era antiga, mas vinha amadurecendo com a evolução dos acadêmicos ao longo dos semestres. Agora chegou a hora de todos trabalharem. Nove projetos foram apresentados e três deles, em áreas distintas da escola, deverão ser escolhidos para serem colocados em prática”.

As propostas baseiam-se no paisagismo, arborização, acessibilidade, utilização de materiais de baixo custo para desenvolvimento de atividades na escola, entre outras melhorias. E o objetivo é que os projetos escolhidos não apresentem custos para a unidade, nem para a Secretaria de Educação.

A diretora do CEPLAS, Ereni Fátima André, classificou a iniciativa e o trabalho dos acadêmicos como “formidável”. Ela salienta que a contribuição já vem sendo planejada há anos, com o intuito de melhorar o ambiente da escola. “Vamos conversar ainda mais com a coordenação do curso e envolver a comunidade quando chegar a fase de mão de obra”, ressalta.

A mesma opinião é compartilhada pela secretária de Educação, Janara Mafra. “Quando percebemos que a comunidade acadêmica se envolve nas questões comunitárias, notamos a preocupação com as nossas crianças e seu ambiente. É uma iniciativa muito interessante, e que com certeza agregará muito à escola”, salienta a secretária.

Para o professor Rodrigo Neves, que acompanhou a turma na Maratona Criativa, o principal objetivo foi estimular o envolvimento dos estudantes nas ações de extensão relacionadas ao curso e contribuir para a valorização da atuação comunitária. O objetivo é mobilizar os estudantes para transformar o conhecimento técnico em uma ação colaborativa para a melhoria das instalações do CEPLAS.