Por: diario | 28/11/2019

 

Após anos com mandatos marcados por desavenças entre o prefeito e o vice, em Rio do Sul, José Thomé e Paulo Cunha tem mostrado que é possível manter a parceria e respeitar as diferenças trabalhando em prol da população. Em entrevista ao DAV o médico avaliou a gestão municipal desde que eles assumiram em 2017 e afirmou que o trabalho é harmonioso.

 

Há 20 anos atuando na medicina, até então sem atividade partidária, Dr. Paulo Cunha revela primeiramente que nunca pensou em disputar uma eleição. “Sempre ajudei a comunidade enquanto médico e nunca havia pensando em servir a cidade como político. O convite surgiu de compor com o jovem José Thomé e fazer um trabalho à quatro mãos. E assim estamos trabalhando, de forma harmoniosa e de confiança mutua” assegura.

 

Questionado sobre seu trabalho a frente do Executivo, Paulo Cunha se define como um vice-prefeito atuante e diz que ao assumir o cargo abriu mão da remuneração que recebia do SUS para atender a municipalidade. Ele conta que todos os atendimentos são gratuitos e voluntários e que recentemente restaurou um imóvel, com recursos próprios, na Valada São Paulo e semanalmente presta serviços clínicos a quem mais necessita. “Percorro nossas unidades de saúde onde também presto atendimento, bem como em todos os mutirões de saúde que já realizamos. Além disso, percorro nossos bairros acompanhando a execução de obras, ouvindo os pedidos da população, procurando melhorar nosso trabalho todos os dias”, comentou.

 

Passados os três anos do mandato, Cunha afirma ter a consciência de que o setor público funciona diferente do setor privado. Entre os principais desafios do setor público o vice-prefeito elenca a burocracia, o cumprimento de diversas leis e o trabalho conjunto entre os órgãos de controle e fiscalização. “Passados os três anos do nosso mandato olho para trás e vejo que conseguimos cumprir com grande parte do que nos propusemos no período eleitoral. Muitas pessoas me perguntam se é fácil e eu respondo que tem que ter vontade. Abrimos mão de muitas coisas para exercer a honrosa missão que o povo nos confiou.Abrimos mão de estar com a família, de ter um momento de lazer ou descanso, acordamos cedo e dormimos tarde todos os dias. Se vale a pena? Com certeza vale. É indescritível a sensação de poder realizar algo pelo lugar que moramos, onde criamos nossos filhos e constituímos a nossa família”, completa.

 

Questionado se pretende manter a dobradinha com o prefeito Thomé em uma eventual reeleição, Cunha disse que está à disposição do partido e inclusive estuda proposta de nova filiação partidária no MDB onde seu pai também foi candidato a vice-prefeito.