Por: diario | 23/09/2017

Durante o uso da palavra livre na sessão da Câmara de Vereadores de Ituporanga na última segunda-feira (18), o vereador Mário Hillesheim (PSDB), o Mário da Saúde, disse que o corte de gastos com horas extras na Prefeitura Municipal aconteceu porque a atual administração pagou nos primeiros meses de governo uma dívida de quase R$ 4 milhões.

O relato indignado do vereador foi feito com documentos, que comprovam o pagamento da dívida deixada pela administração anterior. De acordo com Hillesheim, nesses primeiros meses a Prefeitura já pagou R$ 3,6 milhões em dívidas. Ele ainda ressaltou que, só em um restaurante, o Executivo ficou devendo quase R$ 4 mil. “Como funcionário público que sou, fico indignado com essa situação. Essa é a herança que a administração passada deixou, muitas dívidas. E se alguém quiser vir se certificar, estou aqui com a relação de todas as empresas que foram pagas junto com os valores. Fiquei assustado com o valor gasto em um restaurante, se for somar um almoço custando R$ 20, isso daria 190 almoços. Aí quem sofre são os funcionários, corte de horas extras, servidores que tiveram a carga horária reduzida para seis horas por dia, tudo isso por causa do problema financeiro da Prefeitura”, explicou o vereador.

O vereador afirmou ainda que na Saúde as dívidas eram enormes, e que dos poucos recursos que a Prefeitura recebe hoje, devido à crise, boa parte estão sendo usados para quitar dívidas em laboratórios, médicos e clínicas, que estavam esperando pelo pagamento. “É um absurdo, os poucos recursos que o município recebe precisa usar para pagar essas dívidas deixadas pela administração passada. A Administração Municipal está tentando honrar essas dívidas, mas infelizmente é o funcionalismo que sofre, pois os recursos que poderiam ser utilizados em pagamento de horas extras, por exemplo, estão sendo utilizados para pagar essas contas atrasadas”, finalizou o vereador.