Por: diario | 06/10/2017

Durante o uso da palavra livre, o presidente da Câmara de Vereadores de Ituporanga, Adriano Coelho (PP), justificou que a moção de repúdio que foi encaminhada ao diretor-geral do Instituto Geral de Perícias (IGP), Miguel Acir Colzani, e ao gerente de Perícias do Interior do IGP de Santa Catarina, André de Farias, cobra a demora que houve no recolhimento do corpo de uma vítima de acidente na SC-110, região da Bela Vista em Ituporanga, no último sábado.

Segundo o vereador, a família precisou esperar cinco horas por uma equipe do IGP de Blumenau. “É para sensibilizar quem coordena o setor no estado, é uma moção de repúdio, o corpo de um morador de Imbuia, vítima de acidente, ficou horas às margens da rodovia esperando ser recolhido. A família ficou o tempo todo lá ao lado do corpo dentro de um saco no chão aguardando a chegada do IGP, isso é inadmissível. Então, estamos enviando essa moção para que tenhamos uma explicação e também para que resolvam essa situação de uma vez por todas”, explicou o vereador.

No fim de semana que passou, foram registradas seis mortes no Alto Vale, todas vítimas de acidente de trânsito. Quando a morte ocorre de forma violenta, o corpo precisa ser recolhido pelo IML e o Alto Vale vive há alguns meses um impasse quanto ao trabalho do órgão em Rio do Sul. Por falta de efetivo em alguns dias do mês, a região é atendida por Blumenau. Segundo informações obtidas pelo vereador Adriano Coelho, são três servidores concursados lotados no IML de Rio do Sul, mas apenas um está exercendo a função, os outros dois estão em setores administrativos por pedido médico.

O vereador Adriano (PP) afirmou ainda que é muito complicado depender do IML de Blumenau, já que o trajeto pela BR-470 é difícil e demorado. “A contratação de mais um auxiliar médico-legal para Rio do Sul precisa ser vista com urgência, não podemos ficar à mercê de em alguns dias do mês contar com o serviço de Rio do Sul e em outros de Blumenau. A família já sofre com a perda de um ente querido e ainda precisa esperar horas para que o corpo seja recolhido, isso é um absurdo. Espero poder sensibilizar os diretores e que esse problema seja resolvido o mais rápido possível”, finalizou.