Por: diario | 06/11/2019

 

Luana Abreu

 

O Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina, decidiu pela cassação dos mandatos do prefeito de Laurentino, Gilberto Marchi  e do vice Vitor Nardell ambos do (PSDB) e da vice-presidente da Câmara de Vereadores, Tânia Aparecida Schlemper (PSL). O afastamento movimentou de forma intensa a política no município.

 

Na segunda-feira (04), durante a sessão ordinária da Câmara, o então presidente Ademir Caetano (PTB) assumiu como prefeito em exercício. Com a saída de Caetano e a perda do mandato da vereadora Tânia, Osnildo Pedro Schmidt (PSDB) é o novo presidente da Câmara Municipal.

 

A condenação se deu a partir da investigação realizada por conta de irregularidades no processo eleitoral de 2016, onde os réus, entre outras atividades, são acusados de compra de votos e favorecimento a partir de posição pública.

 

Procurado pela equipe do DAV, o prefeito cassado Gilberto Marchi explica que entrou com um mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília, para que a decisão do TRE-SC seja suspensa. Caso isso não ocorra, novas eleições serão realizadas no município.

 

Segundo o chefe do cartório eleitoral de Rio do Sul, Carlos Alberto Moraes, a expectativa é de que a eleição substituta ocorra em março do ano que vem, seis meses antes do pleito oficial. Os prazos para candidaturas ainda serão divulgados pelo Tribunal.

 

Marchi explicou ainda que uma de suas maiores preocupações é o andamento da organização da Festa do Queijo e sua realização, que ocorre a partir desta sexta-feira (08) no Parque de Eventos da cidade. “Eu estava à frente da organização da festa, inclusive nos cuidados da maior atração que é o queijo de mais de uma tonelada. Agora quem vai fazer esse trabalho?” questiona.

 

Câmara de Vereadores

 

No lugar do vereador Ademir Caetano, que assumiu o Executivo, entra o suplente da coligação. Como a decisão também suspendeu os votos computados da então vereadora Tânia Aparecida Schlemper, o candidato que ficou em décimo lugar no pleito eleitoral de 2016 tem direito a vaga.

 

Novo prefeito

 

Em entrevista ao DAV o prefeito em exercício Ademir Caetano afirmou que está se inteirando sobre a situação da prefeitura. Ele se reuniu na manhã de ontem (05) com o secretariado e a ordem para o momento é continuar com os trabalhos concentrados na Festa do Queijo. “Esta foi uma semana atípica para nós, em virtude da realização desse evento. A partir de semana que vem, vou me inteirar da situação financeira da prefeitura”, explica.
Caetano não descartou a possibilidade de mudanças nos cargos de comissão. “Se for confirmado que eu fique no cargo até que haja a nova eleição, possivelmente farei algumas mudanças no secretariado, colocando pessoas que sejam da minha confiança”.

 

Cassação

 

Marchi e Nardelli foram indiciados junto com outros três vereadores após uma operação iniciada em 2016, que apurava irregularidades para facilitar a emissão de carteiras de habilitação, como um esquema de compra de votos. A operação foi batizada na época de “CNH”.

 

Nos votos, os magistrados também aceitaram os recursos a favor dos vereadores Ademilson Campestrini (PSDB), além do suplente Armelindo Tonet (PSD). Já o recurso da vereadora Tânia Aparecida da Silva Schlemper foi negado, mantendo a condenação pela cassação do mandato e a inelegibilidade por oito anos.
A decisão ainda cabe recurso ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília.