Por: diario | 01/12/2017

A construção do contorno viário da SC-350 e a sobrelevação de trechos da rodovia de Rio do Sul até Ituporanga foram assuntos discutidos em reunião nesta quinta-feira (30) com o secretário de estado da Infraestrutura, Luiz Fernando Cardoso, o Vampiro. A preocupação das lideranças com a mobilidade e o enfraquecimento da economia regional dominaram a agenda no Dia de Ação de Governo, promovido pela Agência de Desenvolvimento Regional (ADR), na Associação Empresarial de Rio do Sul (Acirs).

A retirada do tráfego de veículos pesados de áreas residenciais na capital do Alto Vale é demanda histórica e um traçado com pouco mais de seis quilômetros já foi identificado pelo município para a implantação do contorno viário. “O estado será parceiro, mas precisará que o município providencie as desapropriações”, afirmou Cardoso. De acordo com o prefeito José Thomé, que participou do encontro, tratativas neste sentido já estão sendo realizadas com os proprietários dos terrenos impactados pelo projeto.

Já a sobrelevação de trechos da SC-350 tem o objetivo de garantir a trafegabilidade durante períodos de cheias. Diversos pontos da rodovia nas proximidades do Rio Itajaí do Sul têm sofrido com alagamentos. Cardoso garantiu que demandas como esta devem ser tratadas como prioridade pelo governo do estado. O secretário afirmou, ainda, que trabalha para finalizar outras obras, como a ligação asfáltica entre Rio do Sul e Presidente Getúlio. “Essas são questões pontuais que conseguimos levantar. O presidente da Acirs fez ponderações que são muito pertinentes e que o estado de Santa Catarina precisa levar em consideração em questões de investimentos”, afirmou o secretário.

A revitalização da Estrada Blumenau, em Rio do Sul, também foi pautada e defendida como prioridade. “O objetivo desses encontros é ouvir a classe produtiva, as entidades e prefeitos sobre as demandas de cada região. Em encontros como este, nós conseguimos detectar pontos que precisam ser melhorados, sempre levando para casa uma tarefa”, enfatizou o secretário de estado da infraestrutura, Luiz Fernando Cardoso.

“Hoje o que nos preocupa é o empobrecimento da nossa região. Nós, como lideranças empresariais, precisamos saber qual o motivo de uma região tão próspera e trabalhadora cair nessa questão. Acreditamos que essa resposta esteja alicerçada em dois problemas: a BR-470/SC e as cheias”, expôs o presidente da Associação Empresarial de Rio do Sul, Amandio João da Silva Júnior.

Cardoso afirmou estar ciente da dificuldade de logística do Alto Vale, mas empresários defenderam maior envolvimento do governo do estado também para a garantia de investimentos federais na BR-470. “Rio do Sul ficou dentro de um processo de mobilidade urbana, principalmente terrestre e aérea, com uma dificuldade bastante intensa. Depende da BR-470 de um lado e do outro da BR-282. Não tem um acesso duplicado”.