Por: diario | 16/05/2017

Suellen Venturni

Faltando duas semanas para o fim da Campanha de Vacinação Contra a Gripe, Rio do Sul está muito abaixo da meta a ser atingida. De acordo com o departamento de vacinas da Vigilância Epidemiológica do município, ainda faltam muitas pessoas que devem receber a dose que imuniza contra o vírus Influenza. No último sábado (13) foi o Dia D da Campanha Contra a Gripe e alguns pontos de vacinação ficaram abertos de 8h às 17h para aplicar as doses. Segundo a Vigilância Epidemiológica, cerca de 400 vacinas foram aplicadas, mas o número é inferior ao esperado.

“Vacinação de criança até teve uma boa procura, bastante crianças foram vacinadas, mas os adultos não procuraram muito”, comentou a enfermeira do departamento de vacinas da Vigilância Epidemiológica, Rosane da Rosa. De acordo com a Prefeitura de Rio do Sul, 18 locais estavam aplicando as doses e 60 profissionais estavam trabalhando na campanha, mas, via redes sociais, algumas pessoas reclamaram que procuraram atendimento mas encontraram Unidades de Saúde fechadas.

De acordo com a Prefeitura, as Unidades de Estratégia Saúde da Família (ESF) do Bela Aliança, Progresso, Boa Vista, Canoas, Fundo Canoas, Taboão, Rainha, Pamplona, Barra do Trombudo, Laranjeiras e na Vigilância Sanitária e Epidemiológica, localizada na rua São João vacinaram somente adultos. As crianças foram atendidas nas ESFs dos bairros Budag, Barragem, Bremer, Santana, Canta Galo, Santa Rita e na Policlínica.

Ao todo no município, cerca de 20 mil pessoas se encontram nos grupos prioritários e a meta é imunizar pelo menos 90% desse público até dia o dia 26 deste mês, quando se encerra a campanha nacional. Até agora, o Município vacinou 70% da meta dos idosos, 42% das crianças e 40% das gestantes.

De acordo com Rosane, a maior preocupação é com as crianças, que costumam ser mais sensíveis ao vírus. A enfermeira acredita que a baixa procura se deu, até agora, por conta do clima e da aparente ausência de casos. “O frio ainda não chegou e ano passado teve mais casos que nesse, então as pessoas ainda não se preocuparam tanto. Acredito que isso não é só na nossa região, mas em todo o Brasil”, disse.

Neste ano, tem direito a imunização gratuita crianças de seis meses até quatro anos 11 meses e 29 dias, gestantes, puérperas (mulheres que deram à luz recentemente), trabalhadores da saúde, professores, pessoas com 60 anos ou mais, pessoas com doenças crônicas, população carcerária e funcionários de unidades prisionais. A campanha acontece até dia 26 de maio.