Por: diario | 12/10/2018

A Seleção Brasileira está em processo de renovação, após uma campanha medíocre na Copa do Mundo na Rússia. A equipe foi eliminada pela Bélgica e, mesmo chegando nas quartas de final, o futebol do time não agradou e foi alvo de críticas. Após duas convocações para amistosos, o treinador Tite já mostrou que vai tentar manter uma base e, ao mesmo tempo, buscar testes com jogadores em destaque no Brasil e, principalmente, na Europa.

Nos amistosos disputados em setembro, contra El Salvador e Estados Unidos, Tite surpreendeu e convocou Alex Sandro (Juventus), Dedé (Cruzeiro), Fabinho (Liverpool), Felipe (Porto), Andreas Pereira (Manchester United), Arthur (Barcelona), Lucas Paquetá (Flamengo), Éverton (Grêmio) e Pedro (Fluminense) como novidades no elenco da Seleção. Apesar de alguns já terem atuado, grande parte teve a primeira oportunidade de mostrar a Tite que podem render com a amarelinha.

Alguns jogadores dessa lista são de maior destaque. Arthur, que era do Grêmio na conquista da Libertadores em 2017, está no Barcelona e é uma aposta para que o Brasil tenha um controle de bola no meio de campo e também melhore a qualidade de passe. Todos esses aspectos faltaram na Copa do Mundo. Outra surpresa é Lucas Paquetá, jovem promessa que tem feito uma excelente temporada pelo Flamengo. O meia já é cobiçado por grandes da Europa e pode ser uma possível qualidade a mais no setor ofensivo, principalmente pelos chutes colocados de fora da área e as jogadas em velocidade, para ser uma alternativa a Coutinho e Neymar.

Já nos amistosos de outubro, contra Arábia Saudita e Argentina, Tite teve o retorno de alguns jogadores que disputaram a Copa do Mundo. Entre eles, estão Miranda (Inter de Milão), Marcelo (Real Madrid), Danilo (Juventus) e Gabriel Jesus (Manchester City). Este último retorna com a esperança de ter mais sorte na Seleção Brasileira. Junto com Fernandinho (Manchester City), Jesus virou o culpado pela eliminação contra a Bélgica. O jogador, responsável pela tarefa de ser o camisa 9, saiu da competição sem qualquer gol. O reserva imediato, Roberto Firmino (Liverpool), conseguiu marcar pelo menos um e hoje é titular.

Brasil busca retomada com título da Copa América 2019

Os amistosos deste ano são meras preparações de teste de novos jogadores, inclusive com adversários normalmente fracos. A competição que preocupa torcedores e comissão técnica do Brasil vai acontecer no próximo ano, quando o país será sede da Copa América. Após o fracasso em 2014, no inesquecível 7 a 1, o Brasil volta a receber um torneio oficial de seleções e o Brasil terá toda a responsabilidade de sair vitorioso do torneio.

O elenco da seleção é totalmente favorito, principalmente por jogar em casa. Segundo dados do site Betway, no dia 28 de setembro, a Seleção Brasileira é favorita na Copa América e tem 34,8% de chance do título. Com a Argentina em má fase e com problemas de renovação no elenco, o Brasil terá apenas o Uruguai como principal rival. A equipe celeste fez uma boa Copa do Mundo e foi eliminada nas quartas de final pela França. Ou seja, caiu para a excelente equipe campeã mundial. Esse favoritismo também significa uma responsabilidade na preparação para o objetivo maior, que é a Copa do Mundo de 2022, no Qatar.

Estádios para abertura e final da Copa América são confirmados

Enquanto a Seleção Brasileira se concentra na preparação do time, o Brasil finalmente confirmou os estádios mais importantes para sediar o torneio. A abertura da competição acontecerá no Morumbi, casa do São Paulo, que venceu a disputa contra o Allianz Parque, do Palmeiras, e a Arena Corinthians. Com isso, uma reforma no estádio já foi confirmada para adaptar o estádio ao torneio.

Já a final da competição não teve qualquer novidade. O Maracanã foi confirmado oficialmente como palco da decisão, algo já esperado pela mídia. No entanto, a preocupação em torno do estádio existe e é grande, já que o gramado é alvo de reclamações dos clubes que o usam no Campeonato Brasileiro. Além disso, a administração do estádio também tem sido alvo de críticas e problemas internos. Com isso, o país começa a buscar paz para o torneio acontecer de maneira organizada. Desta forma, o Brasil pode melhorar a imagem com a torcida e realizar uma competição em casa com maior dignidade. A competição começa no dia 14 de junho de 2019.