Por: diario | 11/01/2019

Um novo Governo tomou posse em Santa Catarina, e com ele, algumas medidas já foram anunciadas. Entre elas, está a extinção de diversos cargos e a continuidade com o modelo de terceirização em alguns órgãos públicos que pode ser uma boa opção para garantir economia. Um dos exemplos de efetividade dos serviços a partir de terceirização está do Centro de Atendimento Socioeducativo Provisório (Casep) de Rio do Sul, que hoje é administrado por uma ong e tem um custo mensal de R$ 88 mil. O valor representa quase 80% a menos do que o Estado gastaria para manter a instituição.

De acordo com o coordenador do Casep, Patrick Münzfeld, o serviço terceirizado é melhor e muito mais vantajoso financeiramente. “Hoje somos terceirizados por uma ONG, e custamos R$ 88 mil mensais. Se fosse colocado direto pelo Estado, este custo passaria de R$ 450 mil”.

Quer receber as notícias no Whatsapp? Clique aqui

Outro benefício que o coordenador explicou sobre a terceirização, é a efetividade dos serviços, já que se algum funcionário não cumprir corretamente os requisitos da função, pode ser desligado sem tanta burocracia.

“Se um funcionário nosso não está tendo um bom desempenho a gente pode desligar ele para que a efetividade do serviço continue, mas se for contratado pelo Estado, não temos o que fazer, se torna mais complicado o desligamento. Então além da questão financeira, a terceirização nos dá essa diferença na qualidade dos serviços”.

Patrick contou ainda que hoje o Casep de Rio do Sul é considerado o melhor do estado e que a boa gestão está também aliada à terceirização. Quanto aos demais Caseps de Santa Catarina, ele explicou que todos são terceirizados, somente os Centros de Atendimento Socioeducativo (Case) não adotam esse modelo.

Quem paga as despesas é a própria instituição com o dinheiro que vem do Governo do Estado, mas de acordo com Patrick, a economia é interessante para que o próprio Governo possa investir o recurso economizado em outras necessidades.

Comparação de salários: Terceirizados X Estado

Através da comparação do salário dos servidores terceirizados no Casep de Rio do Sul, é possível perceber que a folha de pagamento aumentaria em em alguns casos a mais de 50% se o funcionário fosse contratado diretamente pelo Estado. No cargo de pedagogo, por exemplo, em média, um profissional do Casep recebe hoje R$ 2.500,00. Já, se fosse contratado pelo Estado, estaria recebendo uma quantia mensal média de R$ 5.550,00, mais que o dobro.

Outra profissão com diferença grande de salário, é a de assistente social, onde pela terceirização o profissional recebe cerca de R$ 2.357,00, já pelo Estado esse valor chegaria a R$ 4.700,00.

Além destes, outros cargos chamam a atenção nos gastos com salários, como a função de psicólogo, que por terceirização recebe pouco mais de R$ 2 mil, e pelo Estado uma média de R$ 4.830,00.

Hoje os gastos com funcionários do Casep somam menos de R$ 400 mil por ano, já se fossem pelo Estado, passariam de R$ 1 milhão.

Elisiane Maciel