Por: diario | 03/05/2019

Taió está entre as três cidades de Santa Catarina que vão receber uma simulação de desastres naturais, realizada pelo Exército Brasileiro. O dia ainda não foi definido, mas a ação acontece no mês de agosto. Representantes da 14ª Brigada de Infantaria Motorizada vieram até o município nesta semana para conhecer um pouco da realidade local e ajustar ações para realizar a simulação.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil Municipal de Taió, Jonata Petrowski Retke, agora, uma nova reunião será realizada no dia 13 de maio na sede da 14ª Brigada de Infantaria Motorizada, em Florianópolis, onde a Defesa Civil do município irá apresentar uma lista de situações e de cenários de desastres naturais para que o Exército planeje as simulações. “Será realizada uma reunião agora no dia 13, onde eu preciso levar o que gostaria que fosse feito, como por exemplo resgate de pessoas na água, retirada de pessoas nas áreas vulneráveis, deslizamentos, soterramentos, situações de alagamento, enchente, evacuação de escolas, enfim, estou montando agora um cronograma, para apresentar a eles e então eles vêm até aqui analisar os melhores lugares para realizar o simulado. São ações simultâneas, para que as tropas possam se dividir e se aproximar ao máximo da simulação de um cenário real”.

Jonata disse ainda que a simulação será uma atuação da Defesa Civil Municipal, com ajuda da Defesa Civil Estadual e em parceria com o Exército. A simulação terá duração de seis dias e envolverá diversas situações simultâneas que envolvem desastres naturais como enchente, deslizamentos, distribuição de alimentos, entre outras medidas.

O oficial de operação da 14ª Brigada, Major Agnelo explicou que o treinamento que será realizado em agosto serve de preparação para atuação da tropa em todo o Brasil. Apiúna e Indaial são os outros dois municípios que também receberão a simulação.

Rio do Sul recebeu simulação em 2017

Em novembro de 2017, a atividade de simulação de desastres naturais aconteceu em Rio do Sul e envolveu cerca de 300 militares de Santa Catarina e do Paraná, oriundos da 5ª Divisão do Exército, localizada em Curitiba, PR, 14ª Brigada Militar de Florianópolis e 23º Batalhão de Infantaria de Blumenau.

Uma das atividades em destaque realizada pela operação, foi de retirada das pessoas de supostos locais isolados em enchentes. Para a simulação, foi utilizado uma estrutura chamada de passadeira, que consiste em embarcações presas por um cabo de aço, como também uma área de passagem de pessoas. As pessoas foram posicionadas à margem direita do Rio Itajaí-Açu e os militares utilizaram a passadeira para deslocar os supostos feridos para ambulâncias e também para o helicóptero, ambos posicionados na margem esquerda do Rio.

A base de operações foi instalada na sede da Defesa Civil de Rio do Sul e também no espaço da Associação dos Servidores Públicos Municipais, localizado no bairro Progresso. Também estiveram envolvidos Bombeiros Militares de Santa Catarina.

Os treinamentos são realizados em outras regiões do país, sempre conforme as adversidades específicas de cada clima.

Elisiane Maciel