Por: diario | 16/05/2018

O Museu Paleo Arqueológico e Histórico Prefeito Bertoldo Jacobsen (MPAHPBJ) participa da 16ª Semana dos Museus, promovida pelo Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM), que segue até sábado e recebeu na manhã desta terça-feira (15/05) alunos da UNIDAVI, que estudam a formação do planeta e estiveram em Taió com o objetivo de conhecer o material paleontológico e arqueológico encontrado no município.

A Diretora do Museu, Marina Peicher, convida todos os taioenses para conhecer o rico acervo da instituição. O horário de atendimento é de segunda à sexta-feira, das 08h às 12h e das 13h30 às 17h30. Sábados e domingos, com agendamento.

O museu foi inaugurado em 18 de dezembro de 2004 e tem esse nome em homenagem ao primeiro prefeito do município de Taió. O objetivo do MPAHPBJ é resgatar e preservar o acervo patrimonial do município. Estando dividido em três áreas de estudo:

A Paleontologia

Que é o estudo da terra e dos seres vivos existentes antes da influencia humana. A milhões de anos atrás o mar cobria partes do Sul e do Sudeste brasileiro, estando Taió dentro desse contexto. Com o passar do tempo, sucessivos avanços e recuos do mar, deixaram como herança sedimentos fósseis; que hoje compõe parte do patrimônio natural de nossa cidade. Os fosseis encontrados em Taió são únicos, sendo que somente em Nova Gales do Sul, na Austrália são encontrados similares. Os fósseis tem idade aproximada de 280 milhões de anos; e a maior parte encontrada pertence ao grupo dos moluscos, tendo como destaque o HECTEROPECTEN CATARINAE , levando esse nome em homenagem ao nosso estado. Também são encontrados outros materiais fossilíferos, sendo que alguns ainda estão sendo estudados.

A Arqueologia

A arqueologia se ocupa em estudar os vestígios materiais e culturais dos primeiros habitantes, estando Taió também sendo estudado por vestígios encontrados em nossa região. Em estudos realizados pelo Instituto Anchietano de Pesquisas do Rio Grande do Sul, a mais antiga prova de ocupação humana no estado de Santa Catarina é em Taió.

Um sítio arqueológico a céu aberto, encontrado em Taió, está datado de 8.000 anos antes do presente, sendo mais antigo até mesmo que os sambaquis do litoral catarinense. Ao todo temos estudados 26 sítios arqueológicos. Os povos que aqui viviam faziam parte do grupo dos JÊ MERIDIONAIS; cujo ainda hoje temos entre eles os Kaigang e Xokleng. O material encontrado em Taió compõe-se basicamente de pontas de projeteis e ferramentas líticas, tendo sua fabricação pelo lascamento o polimento das rochas.

A História Local

O foco principal é o resgate histórico cultural da colonização alemã e italiana do município, esta composta por cerca de 600 doações, entre fotografias e peças que pertenciam a famílias taioenses; tendo como objetivo a preservação da história taioense. O prédio onde está localizado o Museu foi tombado este ano e faz parte dessa história, sendo construído em 1937, serviu por anos como residência da família do Sr. Leopoldo e Sra. Lisette Jacobsen, passando posteriormente a Hospital São Francisco de Assis, e hoje caracterizado como era a antiga residência da família Jacobsen, abriga o Museu de nossa cidade.

16ª Semana dos Museus

De 14 a 20 de maio acontece a 16ª Semana Nacional de Museus, temporada cultural promovida pelo IBRAM em comemoração ao Dia Internacional de Museus (18 de maio). Nessa edição, 1.130 museus de todo o país oferecem ao público 3.261 atividades especiais, como visitas mediadas, palestras, oficinas, exibição de filmes e muito mais!

Receba primeiro as notícias do Jornal Diário do Alto Vale, faça parte do grupo de Whatsapp. Clique aqui