Por: diario | 12/03/2019

Um pesquisa encomendada pelo Jornal Diário do Alto Vale e realizada pela Academia Política do Brasil, vai trazer dados de como a população de Rio do Sul avalia diversos setores da administração pública e até a percepção dos moradores em relação à vários serviços. A primeira entrevista da série terá como foco o atendimento do Hospital Regional Alto Vale (HRAV), que é considerado satisfatório por apenas 17 % dos entrevistados.

O levantamento realizado nos dias 20 e 21 de fevereiro com 528 entrevistados, apontou ainda que o percentual de insatisfeitos com o atendimento da unidade foi de 29,18%, enquanto o percentual de pessoas que consideram indiferente foi 45,45%. Na pesquisa a população também podia dar uma nota para o HRAV, de 0 a 10, e o hospital alcançou a média geral de 6,2.

Ainda em relação à nota, o maior percentual de entrevistados, 24,62%, classificou o atendimento como nota 7, enquanto 20,83% deu a nota 6 e 19,70% a nota 5. Outro dado que chama a atenção é que 1,52% dos entrevistados preferiram dar a nota 0 e 8,33% não opinaram sobre a nota.

O presidente da Fundação de Saúde do Alto Vale do Itajaí (Fusavi), que administra o HRAV, Giovani Nascimento disse que o resultado da pesquisa é uma infeliz surpresa. “Acho que o pessoal não entende o que é o trabalho do Hospital Regional Alto Vale, eles acham que tudo que tem de ruim na saúde é consequência do nosso trabalho, quando na verdade somos um prestador de serviço da saúde, do Estado e da União”, comentou.

Ele destacou ainda que a unidade tem um índice de aprovação entre os pacientes, muito superior ao percentual apresentado na pesquisa e acredita que boa parte dos moradores que deram a opinião, não entendem de fato a função do HRAV. “Acredito que só pode ser por não entenderem qual o verdadeiro papel do hospital, não tem outra explicação porque se o cidadão vem para cá e fica esperando é porque não é um caso de urgência e emergência e não foi encaminhado pela Secretaria de Saúde”.

Sobre a pesquisa

A pesquisa ouviu pessoas de 16 até mais de 60 anos. Do total de entrevistados, 9,47% tinham entre 16 e 24 anos, 22,35% de 25 a 34 anos, 29,55% de 35 a 44 anos, 24,62% de 45 a 59 anos e 14,02% tinham mais de 60 anos. As mulheres representaram 49,24% dos entrevistados enquanto os homens correspondem a 49,24%.

O levantamento foi feito em diversos bairros da cidade. A maior participação, 40,53%, é de moradores dos bairros Barra Itoupava, Bela Vista, Bremer, Budag, Canoas, Canta Galo, Eugênio Schneider, Laranjeiras, Progresso, Santa e Sumaré. Já 31,82% dos que responderam a pesquisa vivem no Centro e Jardim América. Outros 27,65% moram na Albertina, Barra do Trombudo, Barragem, Boa Vista, Fundo Canoas, Navegantes, Pamplona, Taboão, Valada Itoupava e Valada São Paulo.

Nos próximos dias outras reportagens serão veiculadas com o resultado dos demais setores.

Helena Marquardt