Por: diario | 09/08/2018

Fomentar a agricultura e incentivar os produtores rurais. Esses são alguns dos objetivos do vale feira, concedido aos servidores municipais de Lontras. Todos os meses, os funcionários ganham o equivalente a R$ 20,00 para trocar por produtos da feira livre que acontece todas as sextas-feiras.

No local são comercializados, desde hortaliças, frutas, até produtos de panificações. Somente não são vendidos produtos refrigerados e de origem animal porque segundo o secretário de Agricultura, Mário Bini, para isso seria necessária uma inspeção, mas que já está sendo providenciado.

Um dos diferenciais do vale feira é valorização da agricultura familiar através do incremento das vendas na feira. “Nosso município é agrícola, então procuramos sempre incentivar. Cada funcionário recebe um vale de R$20,00 e ele é obrigado a trocar por produtos da feira, e isso gera um incremento de nove mil reais nessa ação, além disso os servidores ainda estão consumindo um produto de qualidade”, explica.

 

Quer receber as notícias no Whatsapp? Clique aqui

 

Para a servidora Cátia Muller, o vale é bastante positivo.“Recebemos esse vale com o prazo de validade de 60 dias, mas a gente procura retirar sempre em 30 dias, é bom para os agricultores e é bom para a gente, é um incentivo no nosso pagamento também. Eu acho que todos os funcionários estão bem contentes com essa ação”, comenta.

Bini conta que além dos funcionários o público da cidade e de municípios vizinhos também comparece para comprar os produtos da agricultura familiar. O secretário explica que hoje a feira não é totalmente orgânica, mas que futuramente essa é a intenção. “Não chegamos nesse estágio de produtos totalmente orgânicos ainda, mas trabalhamos com um controle através da assistência técnica com o que é permitido no uso controlado de agrotóxicos, sempre pensando na qualidade de vida de quem vai consumir”, afirma.

Outras ações

Outra ação de destaque na agricultura, que iniciou nesse mês de agosto, é o projeto de subsídio de horas máquina para agricultores. “É um trabalho onde tem uma retroescavadeira hidráulica, onde cada agricultor comprovando com os documentos de aptidão ao Pronaf, bloco de produtor rural e que não tenha débitos com o município, tem direito até cinco horas de máquinas, que são subsidiadas em um custo de 50% . Estamos surpresos com a quantidade de agricultores interessados.”

Outro destaque é o calcário que é destinado aos agricultores. “A prefeitura paga a análise do solo e também o frete total grátis para o produtor. Nos preocupamos com a correção do solo e queremos incrementar os projetos principalmente aos agricultores mais carentes. Queremos melhorar a qualidade de vida do nosso produtor rural e oferecer a população um produto de qualidade.”