Por: diario | 28/11/2016

Santa Catarina contratou mais do que demitiu em outubro deste ano, informou nesta semana, o Ministério do Trabalho, com base nos dados do Cadastro-Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Foram 69.505 admissões e 68.238 desligamentos – um saldo de 1.267 vagas formais, o que torna Santa Catarina o quarto estado do país na geração de empregos formais, com taxa positiva de 0,06%.

“Se compararmos o saldo de outubro de 2015 com outubro deste ano, percebemos que houve uma recuperação e, por isso, estamos com saldo positivo mais uma vez”, destaca a secretária adjunta de Estado de Assistência Social, Trabalho e Habitação e economista, Reginete Pancineri.

Os setores da economia que tiveram melhor desempenho em outubro foram o comércio e a agropecuária. Em outubro, o crescimento foi de 3,70% na agropecuária. “No setor, houve retomada e superação do nível de emprego formal em comparação com 2015 em razão da ampliação de negócios na região em pelo menos quatro vezes”, explica a economista. Já o comércio teve crescimento de 0,37% de acordo com o Caged. A retomada de vagas formais em outubro de 2016 pode ser explicada pelas festas de fim de ano e proximidade da temporada de verão.

O Ministério do Trabalho e Emprego deve controlar as admissões e demissões de empregados sob o regime da CLT que ocorrem no país. A Lei 4.923/65 instituiu essa obrigação criando o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados.

Números nacionais

O Brasil continuou a fechar vagas formais de trabalho em outubro deste ano. Segundo o Caged, no mês passado houve 74.748 demissões a mais do que contratações. Apesar de negativo, o resultado do mês passado foi menos ruim que o de outubro de 2015, quando foram fechados 169.131 postos de trabalho, o pior resultado para esse mês desde o início da série histórica do Ministério do Trabalho, em 1992.

Segundo o governo, outubro foi o 19º mês seguido de fechamento de vagas formais. Ou seja, há mais um ano e meio há mais demissões do que contratações na economia brasileira. O último mês em que houve mais contratações foi em março do ano passado, quando foram criados 19,2 mil postos de trabalho.