Por: diario | 11/07/2019

Teve início ontem (10) a segunda parte da obra de revitalização do Calçadão Osny José Gonçalves, de Rio do Sul, que estava paralisada desde 2016 por irregularidades denunciadas pelo Ministério Público. A expectativa agora, é de que os trabalhos sejam concluídos antes Natal.

A primeira parte da revitalização, havia sido embargada pela justiça após problemas com a empresa vencedora da licitação. Depois disso a prefeitura anunciou que iria abandonar o projeto inicial e elaborar outro, dessa vez com uma cobertura, mas a ideia não foi bem aceita pelos comerciantes que preferiram permanecer com a primeira opção. “Esse governo recebeu uma emenda parlamentar para investir na área do turismo, então nós fizemos um outro projeto para fazer uma cobertura do Calçadão, apresentamos aos comerciantes e proprietários dos imóveis do entorno do local, porém eles não acharam interessante e viável e a prefeitura acabou realocando o investimento para outra área”, explicou o secretário de infraestrutura, Aldonir Xavier.

De acordo com ele, como a primeira etapa já havia sido executada e a empresa não pôde dar continuidade, foi desmembrado a obra em duas etapas e aberto um novo processo licitatório para a segunda. “Tivemos que aprovar nos órgãos financiadores para que eles dessem o aval para que aí então nós pudéssemos estar fazendo essa segunda etapa”.

A empresa vencedora iniciou os serviços nesta quarta-feira (10) e o cronograma é que ela execute a revitalização total antes do Natal. “A intenção é de entregar à comunidade antes do Natal por conta das vendas e também porque nessa época aumenta muito o movimento de pessoas naquela região”, completou Xavier.

A revitalização corresponde à remoção de todo o pavimento, que será refeito, e o término da instalação de um novo mobiliário. “A empresa se comprometeu a não ter tapumes ao redor da obra, até porque como tem todas aquelas lojas ali, e para não ficar aquela coisa fechada e também atrapalhar a visão das lojas, eles se comprometeram a trabalhar somente com o cercamento, só com a divisão de faixas, para que inclusive a população fiscalize o andamento da obra”, finalizou o secretário.

Para a vendedora Lidiani Wiggers, que trabalha em uma loja no Calçadão, a expectativa é que o fim da revitalização atraia ainda mais clientes, principalmente para as vendas do Natal. “Acredito que o Calçadão estando mais bonito vai chamar mais gente para visitar e estes vão acabar comprando nos comércios daqui”.

Elisiane Maciel