Por: diario | 04/04/2017

O ano de 2017 começou com muitas mudanças no quadro político da região. As Prefeituras conheceram em janeiro seus novos comandantes e equipe de gestão, bem como, as Câmaras Municipais, que em quase todas as cidades do Alto Vale do Itajaí passaram por considerável renovação em seus respectivos quadros e, agora, tudo começa do zero.

Em contrapartida, Municípios onde o prefeito atingiu a reeleição a impressão que se tem é a inversa, pois a equipe já está em atividade, os projetos em andamento e o plano de Governo em vigor. Mas, na prática, a situação é um pouco mais complexa, como comenta o prefeito de José Boiteux, Jonas Pudwell, que segue para seu segundo mandato consecutivo.

“Começa tudo do zero na realidade. O pessoal às vezes comenta com a gente que prefeito reeleito entra lá dia 1º de janeiro e só toca, mas não. É processo licitatório, é contratação de professores, é contratação de transporte. Tudo novo. A gente começou nesse sentido, e com os pés no chão, trabalhando o básico, que é saúde, manutenção de estradas e outros serviços essenciais”, afirmou Pudwell.

Além deste pontapé inicial de mandato, Jonas também falou sobre a importância de uma gestão segura financeiramente, pois com o momento político-econômico ainda conturbado no Brasil, a palavra de ordem é cautela em novos investimentos, para não contrair dívidas, o que pode representar grandes complicações aos cofres municipais.

“Desde o dia 1º de janeiro a gente, com toda experiência, foi tomando cuidado, pois sabe do momento que o Brasil passa. Momento turbulento econômico, a gente sabe que os municípios são a ponta onde vai arrebentar a corda”, alertou Pudwell, que ainda falou que não é prudente um prefeito se “empolgar” neste momento, já que a previsão econômica para este ano é inversa a esta postura.

Para o futuro, a cidade de José Boiteux pode esperar uma série de projetos que já estão no planejamento da equipe de governo. “A gente está fazendo vários projetos, dentro do que a gente tinha programado para o município, para que ele cresça e se desenvolva. Inclusive, gente está percorrendo os gabinetes dos nossos deputados estaduais e federais, do Governo do Estado, do Governo Federal, em busca de deixar projetos em todas as secretarias.

Em busca de recursos para o município”, destacou o prefeito.

Esta saga atrás de verbas é uma constante para administradores de cidades de pequeno e médio porte, já que a arrecadação própria é em geral baixa e Jonas conclui que dizendo que: “Municípios do porte de José Boiteux têm a sua arrecadação destinada apenas para a manutenção, sobra muito pouco para investimentos, então, temos que buscar isso com vários projetos, por isso temos nosso engenheiro trabalhando em diversas áreas, para que possamos implantar o que programamos para o município no decorrer dos quatro anos”, finalizou.

Airton Ramos