Por: diario | 06/09/2019

O projeto de lei de origem do Executivo que permite ao município de Taió contrair um empréstimo de R$ 9 milhões junto à Caixa Econômica Federal para a pavimentação de ruas da cidade e compra de máquinas e equipamentos deve ser votado pelos vereadores na próxima segunda-feira (9).

Na última sessão, o prefeito Almir Guski utilizou a tribuna do Legislativo por mais de duas horas para apresentar alguns dados do projeto com apoio dos técnicos da secretaria de Planejamento, Irinéia Baldessar e Alcides Ronchi, além de um representante do banco.

Após explicar o que será feito em cada uma das 14 ruas contempladas e com as máquinas e equipamentos previstos para aquisição, entre outros, o prefeito também respondeu questionamentos dos vereadores sobre a capacidade de pagamento da Prefeitura, a qualidade das obras e o prazo de entrega. E comentou que a prefeitura deve tentar reduzir ainda mais os juros.

Ele destacou também a importância do financiamento e pediu tolerância da população. “É um tipo de obra que mexe de verdade com as pessoas, mas eu tenho certeza que na hora que a gente terminar este projeto aqui Taió será melhor”, argumentou.

Regime de urgência

De acordo com o presidente Tiago Maestri, deve haver uma sessão extraordinária na segunda-feira (9) para garantir as duas votações no mesmo dia. “Numa sessão ordinária que a gente possa aprovar em primeira votação e, na sessão extraordinária, na mesma noite, a gente aprove, pra que dispense de redação final, pra que no outro dia a gente possa encaminhar para a prefeitura”, explicou.

Almir observou ainda que, depois de aprovado na Câmara de Vereadores, a prefeitura deve reiniciar as conversas sobre os termos do contrato com a Caixa Econômica Federal. Por enquanto os juros negociados ficam em 4,7% ao ano e acréscimo de um título conhecido como CDI (Certificado de Depósito Interfinanceiro ou Interbancários), variável, e que pode elevar a taxa para algo próximo de 10% ao ano.
Durante o prazo de carência, que é de 24 meses, a prefeitura paga apenas os juros. Entre outras coisas, o prazo de conclusão dos trabalhos em cada rua depende do tipo de obra, se é lajota, asfalto ou concreto, e das condições climáticas. Já os equipamentos e máquinas serão incorporados imediatamente ao patrimônio do município para execução de obras.