Por: diario | 13/04/2018

O crescimento do cooperativismo de crédito no país e o planejamento estratégico do Sistema Cecred, que reúne 13 cooperativas do Sul do Brasil, foram temas de uma reunião no Banco Central. O encontro entre os dirigentes das duas instituições aconteceu em Brasília (DF). A possibilidade de falar sobre o propósito do Sistema para o mais importante agente do Sistema Financeiro Nacional (SFN) foi comemorado pela gestão do grupo, que tem sede em Blumenau (SC).

Na oportunidade, foi apresentado o balanço social econômico do Sistema. Em 2017 houve uma economia média de R$ 2.105 por cooperado em relação ao que custariam as operações com o sistema bancário tradicional. Foram destacadas ainda as ações sociais como o Programa de Desenvolvimento de Cooperados e Comunidade (Progrid), com mais de 1,9 milhão de participações acumuladas.

De acordo com o diretor de Fiscalização do Banco Central, Paulo Sérgio Neves de Souza, pela relevância que tem no cooperativismo de crédito no Brasil, o Sistema Cecred é um integrante fundamental deste processo.

“Em um ambiente em constante transformação, com todas as inovações tecnológicas e o impacto no comportamento das pessoas, tanto no estilo de vida quanto nas demandas por produtos e serviços, torna-se imprescindível que as cooperativas de crédito estejam dispostas a se adaptarem aos novos desafios. Percebe-se que o Sistema Cecred está atento a essas oportunidades, visando garantir uma marca forte e consolidada no segmento cooperativo”, afirmou.

Ele acrescenta que o cooperativismo de crédito tem um papel de destaque no processo de inclusão financeira. “As cooperativas proporcionam acesso para pessoas com baixa disponibilidade de atendimento pelo sistema tradicional. Há, ainda, a promoção de reinvestimento de recursos na própria comunidade”, acrescenta Paulo.

Para Moacir Krambeck, presidente da Central Cecred, a oportunidade de entender o posicionamento do Banco Central e ouvir os feedbacks a respeito da atuação local da entidade foi uma experiência marcante.

“O cooperativismo tem características únicas, que diferem das demais instituições. Saber que a principal corporação do Sistema Financeiro Nacional (SFN) compartilha do nosso posicionamento e acredita nas mesmas premissas é um combustível para fazermos ainda mais”, comenta.

De acordo com o diretor executivo da Central Cecred, Ivo José Bracht, outro aspecto bastante positivo da visita, foi ter mais proximidade com as iniciativas do Banco Central. Assim a entidade poderá simplificar procedimentos, alinhar padrões de atuação com normativas internacionais e outras questões que interferem diretamente nos resultados das cooperativas. “Saímos com a sensação de olharmos em conjunto para o futuro do cooperativismo do Brasil e de estarmos preparados para atingirmos novos patamares”, finaliza.

Sobre a Cecred

Fundado em 2002, o Sistema Cecred conta com mais de 620 mil cooperados, 13 cooperativas, mais de 160 postos de atendimento e R$ 6,2 bilhões em ativos. Com atuação nos três estados do Sul do país, possui mais de 2,5 mil colaboradores. As cooperativas que compõem o Sistema Cecred são: Viacredi, AcrediCoop, Credifiesc, Acentra, Credelesc, Transpocred, Credifoz, CredCrea, SCRcred, Rodocrédito, Credicomin, Crevisc e Viacredi Alto Vale.

Receba primeiro as notícias do Jornal Diário do Alto Vale, faça parte do grupo de Whatsapp. Clique aqui