Por: diario | 05/10/2017

Será realizada na próxima terça-feira (10), a partir das 19h30, no Hotel Aliança Express, em Rio do Sul, uma reunião com representantes do Partido Novo. Podem participar pessoas que se interessam por política e querem conhecer os valores e propostas.

De acordo com o membro do partido, Gilson Marques, representante da sigla no Vale do Itajaí, a reunião é voltada principalmente às pessoas que se consideram revoltadas com o atual cenário político e buscam uma ferramenta que possa ser utilizada para algum tipo de melhora.

A criação da sigla foi autorizada em 2015 pelo Tribunal Superior Eleitoral. Nas eleições de 2016 elegeu um vereador no Rio de Janeiro (RJ), um em São Paulo (SP), um em Belo Horizonte (MG) e outro em Porto Alegre (RS).

Marques conta que a estratégia do partido é adotar um procedimento de expansão em Santa Catarina. “Temos interesse em trazer nossas ideias para Rio do Sul, afinal é uma cidade grande e referência para muitos municípios da região”, explica.

Processo seletivo para deputado

Marques conta que para se filiar ao Partido Novo o interessado precisa atender a todos os critérios da Lei de Ficha Limpa. Além disso, ele deve passar por um processo seletivo para disputar as eleições. “Qualquer pessoa que se sinta capaz e tenha interesse em ser um candidato a deputado federal, desde que atenda os critérios definidos no estatuto do partido, pode participar”, explica.

Hoje o Brasil possui 35 partidos políticos em funcionamento. “O Novo é o único que não usa dinheiro público para sua manutenção”, explica Marques. O Novo sobrevive com dinheiro mensalmente pago pelos próprios filiados, tornando-os responsáveis pelo sucesso e idoneidade do partido.

Além disso, o estatuto proíbe mais de uma reeleição. “Estamos cansados de ver o cara deputado por 4, 5, 6 mandatos. Em nosso partido ele não teria essa condição”, explica.

Marques conta que busca no Alto Vale pessoas não envolvidas na política, ou que tenham um pensamento diferenciado. “Estamos cheios de revoltados de sofá, todo mundo quer mudar, mas ninguém quer mudança. Isso é ruim porque nos torna cúmplices do que está acontecendo”, lamenta.

Há uma movimentação forte do partido em prol das eleições do ano que vem, onde o Novo busca eleger um deputado federal da região do Alto Vale do Itajaí. “Queremos eleger um candidato aqui, assim como em outros estados para criar uma bancada federal”, finaliza.

Rafael Beling