Por: diario | 04/03/2019

A Polícia Militar de Braço do Trombudo junto da corporação de Rio do Sul, capturou por volta das 13h desta segunda-feira (4), o segundo suspeito de ter participado do assalto à uma cooperativa e um banco em Mirim Doce nesta sexta-feira (1º de março).

De acordo com informações da PM, o homem que estava em um táxi, ao se deparar com a viatura da Polícia, pediu para que o taxista parasse. Logo após, ele desceu em um barranco e fugiu pela mata, entre os municípios de Braço do Trombudo e Trombudo Central.

O suspeito foi capturado por volta das 13h na divisa entre os dois municípios e com ele foi apreendido uma quantia grande de dinheiro. O homem já era foragido e tinha outros mandados de prisão ativos.

 

Primeira prisão foi feita no sábado

O Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT) da Polícia Militar de Rio do Sul, prendeu na madrugada de sábado (2), um dos suspeitos do assalto realizado em Mirim Doce, na sexta-feira (1º de março). Junto dele, foi apreendida também uma arma de fogo.

A PM abordou dois homens envolvidos no assalto a um banco e uma cooperativa em Mirim Doce, próximo a um matagal, na Serra da Santa. Um dos homens foi abordado e preso pelo PPT de Rio do Sul e o outro conseguiu fugir pela mata. A operação foi realizada durante toda a madrugada do sábado e agora, além do PPT, o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), Cobra e Águia seguem buscando os demais foragidos.

De acordo com a Polícia Militar, cerca de três integrantes do grupo ainda seguem escondidos na mata na região do Morro do Funil.

 

Relembre o caso

O Banco do Brasil e a cooperativa Cresol de Mirim Doce, foram alvo de uma invasão na manhã de sexta-feira (1º de março). Na ocasião um homem foi feito de refém e largado após a fuga, sem roupa, na Serra da Santa.

No momento do assalto, os bandidos teriam ido até ao banco, deram tiros para cima e invadiram o local. Após o assalto, os mesmos fugiram em veículos de placas falsas, sendo um Ônix Branco e um Cerato prata. Os envolvidos abandonaram o veículo em Otacílio Costa sentindo à Curitibanos.

As investigações continuam inclusive com a Polícia Civil, onde um inquérito foi aberto. A Polícia Militar pede para que a população fique atenta e comunique a corporação através do 190.

Elisiane Maciel