Por: diario | 28/05/2018

Diretoria da Petrobras enviou nesta segunda-feira (28) uma carta aos empregados da companhia pedindo reflexão sobre uma greve programada pelos petroleiros. A empresa defende que a paralisação prevista para esta semana não seria positiva nem para a empresa e nem para o país.

“Como a Petrobras e a sua força de trabalho podem melhor ajudar o Brasil neste momento? Não acreditamos que seja com paralisações e com pressões para redução de nossos preços”, afirmou a diretoria, segundo documento visto pela Reuters.

“Em nosso entendimento, isso teria justamente o efeito contrário: seria um retrocesso em direção ao aumento do endividamento, prejudicando os consumidores, a própria empresa, e, em última instância, a sociedade”, afirmou o texto.

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) e seus sindicatos filiados convocaram a categoria petroleira para uma greve nacional de advertência de 72 horas, segundo nota do site da entidade.

Os trabalhadores ligados à FUP prometem começar o movimento grevista a partir do primeiro minuto de quarta-feira, dia 30. O objetivo da greve seria “baixar os preços do gás de cozinha e dos combustíveis, contra a privatização da empresa e pela saída imediata do presidente (da Petrobras) Pedro Parente”.

greve dos caminhoneiros, que chegou nesta segunda-feira ao seu oitavo dia, questiona, entre outros pontos, o preço do diesel no Brasil.

Neste domingo (27), o presidente da República, Michel Temer, anunciou novas medidas para a redução no valor do diesel, em mais uma tentativa de por fim à paralisação dos caminhoneiros que provoca desabastecimento em várias partes do país.

Entre as medidas anunciadas está a redução de R$ 0,46 no preço do litro do diesel por 60 dias, e a isenção de pagamento de pedágio para eixos suspensos de caminhões vazios.

A Petrobras será reembolsada pelo governo pela redução do preço, por meio de subsídio com dinheiro da União.

Informações: G1