Por: diario | 08/05/2017

O deputado federal Rogério Peninha Mendonça (PMDB) cumpriu agenda em municípios do Alto Vale nesta sexta-feira (5) e visitou órgãos de imprensa em Rio do Sul, para falar de assuntos que vem direto de Brasília. Peninha defende a Reforma Trabalhista já aprovada na Câmara e diz que ainda está indeciso quanto a Reforma da Previdência, apesar de reconhecer avanços.

O parlamentar argumenta que os brasileiros não irão perder direitos básicos dos trabalhadores com a Reforma Trabalhista, já que estão garantidos pela Constituição Federal. “O FGTS continua, o seguro desemprego, o 13º salário, as férias, a licença maternidade, tudo isso continua igual, a hora extra mudou de 20% para 50%, eu diria que só houve avanços para o empregado”, disse.

De acordo com Peninha a proposta trata de uma atualização que flexibiliza a relação entre patrão e empregado. “Da mais força para os acordos coletivos, o acordo entre patrão e empregado prevalece mesmo que a lei exista (…) a nossa Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) é de 1943, do tempo de Getúlio Vargas, mais de 70 anos, e nós estamos modernizando, o mundo mudou”, observou.

O deputado federal ainda não tomou posição oficial sobe a Reforma da Previdência, segundo ele, o projeto dificilmente vai ser aprovado, já que envolve alteração em artigo previsto na Constituição e serão necessários 308 votos da Câmara. A Reforma Trabalhista precisava de menos votos e foi aprovada com 297 votos. Segundo Peninha nem todos os parlamentares que aprovaram alterações trabalhistas, concordam com alterações previdenciárias. “Eu conversei com mais de 20 deputados que aprovaram a Reforma Trabalhista, que me disseram que não votam na Previdenciária, então é praticamente impossível. Eu ainda não defini se vou votar a favor ou contra, estou aguardando a votação do relatório do deputado Arthur Maia”, comentou.

 

Recursos

O deputado federal também listou recursos destinados para o município de Rio do Sul, mesmo com o PMDB fora do Governo municipal. Na administração anterior ele calcula que tenha destinado cerca de R$ 14 milhões em verbas parlamentares. Neste ano o montante já gira na casa dos R$ 2 milhões. “Estou destinando R$ 250 mil para uma ponte na Chimbica, R$ 250 mil para equipamentos para as unidades básicas de saúde, R$ 350 mil para reforma e ampliação do Centro de Eventos, R$ 130 mil para a compra de um veículo para a Apae, R$ 180 mil para uma ambulância para o Samu do município, R$ 200 mil para custeio da saúde a pedido dos nossos vereadores, R$ 100 mil para a Renal Vida, R$ 250 para o Hospital Samária e R$ 250 mil para o Hospital Regional, estou vendo se consigo completar R$ 500 mil para o Regional”, listou o deputado.

 

2018

O PMDB se articula para as eleições 2018, hoje quatro nomes dentro do partido estão entre os cotados para se candidatura ao Governo do Estado, ir na cabeça de possíveis coligações. O deputado federal Mauro Marini, o senador Dário Berger, o vice-governador de Santa Catarina, Eduardo Pinho Moreira, e o prefeito de Joinville Udo Döhler são os nomes do partido. “O principal é o Mauro Mariani, que é o presidente do partido, é o meu nome estou apoiando ele, uma pessoa jovem, dinâmica e com vontade de fazer, ficha limpa, nós temos quatro bons nomes”, concluiu.


Trabalho infantil é tema de debate no Alto Vale