Por: diario | 31/10/2018

Em entrevista ao Jornal Diário do Alto Vale, depois de passada toda a agitação das eleições 2018, que foram marcadas por grandes reviravoltas políticas em todo o país, o deputado federal Rogério Mendonça, o Peninha, do MDB, revelou que ficou decepcionado com o número de votos recebidos na região e que acredita estar na hora de pensar novos projetos como a possibilidade de uma candidatura ao Senado ou ao Governo de Santa Catarina no próximo pleito.

Ao fazer uma avaliação da votação, ele afirmou que por ser o deputado que mais trouxe recursos para todos os municípios do Alto Vale, os 25 mil votos recebidos na região, do total de 77 mil votos que conseguiu no estado, ficaram muito abaixo do esperado.

Quer receber as notícias no Whatsapp? Clique aqui

“Tive que buscar 52 mil votos fora enquanto na eleição anterior obtive 56 mil votos no Alto Vale. Nesse ano só consegui me eleger graças ao trabalho que fiz em outras regiões como Litoral, Vale do Rio Tijucas, Oeste e assim por diante. Infelizmente os votos que obtive aqui foram decepcionantes, principalmente em Rio do Sul, Taió, Ituporanga e Ibirama. Foi uma votação ruim porque fui o parlamentar que disparadamente mais levou recursos para todos os municípios”, comentou.

Por causa do resultado das eleições, ele diz que vai rever sua forma de atuação como parlamentar e em vez de priorizar a questão de recursos, deve atuar mais no Plenário e através de projetos. “Uma atuação mais legislativa mesmo, talvez seja isso que o povo queira. É lógico que sei que foi um momento de mudança no Brasil, mas todo mundo dizia que queria um deputado ficha limpa e isso eu sou, ou então cansaram de mim ou o desgaste do MDB tenha provocado isso”.

Amigo pessoal de Bolsonaro, a quem ele trouxe para visitar Santa Catarina em quatro ocasiões quando o presidente eleito era praticamente um desconhecido no estado, Peninha também revelou acreditar que essa proximidade deve pode dar mais força a seus projetos.

“O Bolsonaro em diversos momentos ofereceu o PSL para mim e eu nunca quis porque todas as minhas oito eleições estive com o MDB e não queria mudar de partido, mas essa minha relação com ele, e com muitos da sua equipe, vai facilitar minhas reivindicações e ações como por exemplo em relação a BR-470”, opinou.

Em relação ao projeto do emedebista que quer revogar o Estatuto do Desarmamento, ele acha que a proposta também ganha reforço para aprovação já que Bolsonaro compartilha das mesmas ideias.

“Ele foi aprovado numa comissão especial e está dependendo só de ir para o plenário e do presidente. O presidente Rodrigo Maia tinha me prometido que antes das eleições ele seria votado, e não cumpriu, mas agora está dizendo que quer colocar em votação até o final do ano e espero que consiga”.

Questionado sobre os boatos de que teria sido convidado para ser o novo ministro da Agricultura, Peninha disse que essa proposta nunca foi feita por Bolsonaro.

“Isso é especulação de amigos e não acredito que isso venha acontecer. Até porque ele quer ter de políticos e deputados o mínimo dentro do seu governo, então eu em nenhum momento fui sondado e não acredito que isso aconteça. Não estou preocupado em ser ministro pois acredito que eu seja mais útil no Congresso até porque foi para isso que me elegi”.

Quer receber as notícias no Whatsapp? Clique aqui

Ele finalizou dizendo que confia que o presidente Bolsonaro faça um excelente mandato. “Até pela equipe que ele está montando, acho que vai fazer um grande governo. Em relação ao meu mandato tenho dito que acredito que está na hora de pensar num outro projeto. Inclusive tenho falado com prefeitos e minha vontade é disputar uma eleição majoritária, ou seja, ser governador, vice-governador ou senador” concluiu.

Helena Marquardt

Veja também as últimas atualizações: