Por: diario | 26/07/2018

O auditório do SESI em Rio do Sul ficou lotado nessa terça-feira (24). Pelo menos 260 pessoas entre empresários e gestores de recursos humanos participaram do momento. A palestra foi promovida por meio do Sindicato dos Contabilistas do Alto Vale do Itajaí (Sindicont), em parceria com a FIESC Alto Vale e o Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas no Estado de Santa Catarina (SesconSC).

O principal objetivo do encontro foi orientar e debater em relação às implicações que o e-Social traz para as empresas. “Os profissionais da área contábil estão trabalhando a mais de seis meses na implantação de sistemas para fornecer as informações exigidas pelo eSocial”, comentou o diretor de eventos do Sindicont, Sandro de Souza, durante a abertura do evento. Além disso, a palestra teve o cunho de esclarecer novas formas de envio das obrigações trabalhistas, previdenciária e fiscal, que contém todas as informações sociais dos trabalhadores.

O vice-presidente da FIESC Alto Vale, Lino Rohden, também esteve presente e destacou a importância do eSocial.

 

 

“Com o eSocial o governo cruza todas as informações, por isso a necessidade das empresas se organizarem para acompanhar bem o processo de fornecimento de dados”, disse Rohden, agradecendo a parceria e a preocupação dos contabilistas sobre o tema.

“A FIESC, assim como os demais sindicatos industriais, está à disposição para auxiliar os empresários nesse processo de transição”, concluiu.

O advogado, Andres Jimenes, foi o palestrante convidado. Andres explicou que o eSocial unifica as informações para vários os órgãos, como por exemplo: Caixa Econômica Federal, Receita Federal, Previdência e Ministério do Trabalho. “São mais de 40 arquivos diferentes. As informações devem estar completas, corretas e dentro do prazo para não gerar multas, que serão automáticas”, disse Jimenes.

Os pontos críticos, segundo ele, são as admissões, os afastamentos, atestados, férias, licença maternidade e aviso prévio. “O eSocial é um fiscal eletrônico dentro de suas empresas. Por isso é bom antecipar as tarefas e manter a contabilidade informada”, ressaltou o palestrante. Ele também falou da importância de eliminar o velho “jeitinho brasileiro”. “Isso não será possível. O cruzamento de dados do sistema é referência mundial”, completou.

Uma das participantes, Eliane Agostini, reforçou a importância da palestra para o ramo empresarial. “Foi de grande importância essa palestra para os empresários terem a noção de qual será sua responsabilidade. É um pouco assustador, pois são novas exigências, que na verdade não deveriam ser novidade. Mas pelo menos estamos tendo a noção da gravidade e da importância da pontualidade”, comentou .

Silene Rengel, também demostrou a relevância dos assuntos debatidos e expostos pelo palestrante. “Foi muito importante o palestrante ter colocado a visão que os empresários devem ter sobre o eSocial, pois às vezes pensam que a contabilidade vai conseguir resolver, mas muita coisa precisa vir organizado já da empresa. Não dá mais para fugir do cumprimento dos prazos”, afirmou.

Tatiana Hoeltgebaum