Por: diario | 12/09/2018

As obras do mercado público de Rio do Sul seguem paralisadas há mais de dois anos. A construção que iria proporcionar uma estrutura mais adequada aos feirantes de Rio do Sul e cidades vizinhas, com espaço para expor os produtos, não tem nenhuma previsão de ser retomada. Enquanto isso os agricultores seguem realizando as feiras às quintas e aos sábados próximo ao estádio municipal.

A empresa contratada para construir o mercado público, desistiu dos trabalhos em maio de 2016 e desde lá, a obra está parada. Questionada, a assessoria de comunicação da prefeitura nos informou que as obras do mercado público começaram há três anos e ao assumir a Administração a atual gestão passou a trabalhar para resolver os problemas que cercavam o imóvel.

Quer receber as notícias no Whatsapp? Clique aqui

“Identificamos junto a Caixa Econômica Federal, que a obra foi executada de forma diferente do projeto inicial, o que impossibilitava a liberação de recursos e prosseguimento dos trabalhos. Durante esse processo, a empresa que havia vencido a licitação na época acabou desistindo do empreendimento. Diante desse cenário, o Governo solicitou à Caixa Econômica, uma autorização para seguir o trabalho de acordo com o que foi executado. Há cerca de um mês o município recebeu a autorização para enviar toda a documentação para que a instituição financeira avalie a possibilidade de fazer uma nova licitação para conclusão do mercado público municipal”.

Para os feirantes a construção é bastante aguarda. Anilore Voss acredita que o mercado público seria mais adequado para a comercialização dos produtos.

“Hoje onde estamos não é muito bom, se chove é ruim e no verão o sol é muito quente e como vendemos nata, queijinho, frango, daí fica muito difícil, temos que levar isopor e bastante gelo então outro local mais adequado seria bem melhor”.

Já outra feirante, Zilda Bachmann, reconhece que falta estrutura, mas acha que o mercado público onde será instalado, não é o local mais adequado por conta das enchentes. “Eu acho que outro local seria bom, mas não sei se o ideal seria no mercado público pois fica fora de mão, aqui muitas pessoas passam e já param e lá o problema é a enchente. Eu imagino que ali levaria umas duas semanas, se pegar enchente para podermos fazer feira, então dificultaria um pouco”.

Quer receber as notícias no Whatsapp? Clique aqui

Entenda o caso

A empresa contratada para construir o mercado público de Rio do Sul desistiu dos trabalhos e a obra segue paralisada desde maio de 2016. Com o contrato cancelado, a prefeitura tentou fazer com que a construtora que ficou em segundo lugar na licitação aceitasse continuar o prédio. Depois do impasse, o prazo de entrega foi estendido até novembro de 2016.

O projeto que prevê um prédio com 329,49 m², está orçado em R$ 254.846,30. O prazo inicial de término da obra era dezembro de 2015.

Tatiana Hoeltgebaum

Veja também as últimas atualizações: