Por: diario | 07/11/2017

Ao alcançar 802 votos nas últimas eleições, Bárbara Kirsten tornou-se a primeira suplente da coligação formada por PSDB, PP, DEM e PRB, que elegeu três vereadores, entre eles, o atual presidente da Câmara, Francisco Goetten de Lima (PP), Maicon Coelho (PP), além do vereador mais votado, Marcos Zanella (PSDB).

Com a possibilidade de afastamento de Chico, que pode concorrer a uma vaga como deputado estadual em 2018, o que pode se confirmar em evento dos Progressistas que será realizado no próximo dia 11, Bárbara poderá ter a chance de assumir uma cadeira no Legislativo municipal, porém, sem data ou prazo definido.

A suplente afirma que nenhuma tratativa foi firmada com os representantes dos partidos, mas que existe a expectativa de poder exercer a função de vereadora. “Como suplente ficamos na expectativa que algo ocorra. Daqui a pouco um vereador sai para ser candidato a deputado, se elege, e aí resta essa vaga”, explica. Além disso, ela afirma que está preparada para assumir, se necessário.

Entre as bandeiras que deve defender no período de seu mandato, destaca o trabalho voltado ao bem-estar das famílias. “Temos projetos também para a implantação de praças, de centros de convivência para as comunidades, todas essas políticas públicas voltadas ao bem-estar dos idosos. Também gostaria de atuar na área de proteção aos animais. Como mulher tenho esse perfil do cuidado com as pessoas”, revela.

PRB desembarca do governo

“Não dá para dizer que a gente esteve nesse governo, pois nunca estivemos nesse governo”, desabafa. A falta de diálogo entre representantes do governo, inclusive do prefeito José Thomé (PSDB), com os líderes do PRB fez com que a sigla anunciasse a saída do governo.

Bárbara revela que a decisão de se posicionar sobre a situação foi demorada e cobrada por lideranças estaduais do partido. “Em nenhum momento o partido foi chamado para poder contribuir diretamente com a construção desse governo”, lamenta.

Em relação à formação da equipe, Bárbara foi questionada se havia a intenção de assumir um cargo estratégico de confiança do prefeito Thomé. Ela afirmou que apesar de o partido ter suas pretensões e pessoas qualificadas para composição do grupo de trabalho, seu único objetivo na composição da coligação era se eleger vereadora. “Nunca pensei em cargo, fiz minha campanha para ser vereadora, mas infelizmente não consegui me eleger”, explica.

Avaliação do governo

Ao avaliar o governo de Thomé e Paulo Cunha, Bárbara explica que projetos do governo passado receberam continuidade e que muitas ações foram encaminhadas. Como ponto negativo, destacou a redução do horário de funcionamento da Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

“Existe muito marketing e propaganda, mas a gente espera e torce para que as coisas aconteçam de fato. Coisas que venham mudar a realidade das pessoas, principalmente na área da saúde”, explica.

PRB em 2018

Em reunião realizada em Florianópolis no domingo (5), O PRB definiu os nomes dos pré-candidatos a uma vaga na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) e outra na Câmara dos Deputados, em Brasília.

O pré-candidato a deputado estadual é o Bispo Sérgio Motta, atual presidente estadual da sigla e uma das principais lideranças da Igreja Universal, instituição representada pelo partido. Para deputado federal, ficou definido o nome do jornalista e apresentador Hélio Costa, que atua na RIC TV Record.

O evento também contou com a presença do presidente estadual do PSB, Paulo Bornhausen e do PSD, Gelson Merisio, pré-candidato da sigla ao governo do Estado. Segundo Bárbara, o PRB deverá apoiar o projeto de Merisio.

Rafael Beling