Por: diario | 08/11/2019

 

Jorge Matias

 

O primeiro Museu da História Natural do Alto Vale será inaugurado hoje às 15h, na cidade de Laurentino. Esse é o único museu que conta a história da biodiversidade da região, contendo peças de animas taxidermizados, fosseis e outras peças líticas.

 

De acordo com o curador Robson Carlos Avi, o Museu da História Natural tem objetivo de resgatar o contexto da biodiversidade do Alto Vale. “Temos uma coleção muito grande na parte da arqueologia e animais taxidermizados, os populares animais empalhados, com peças da fauna regional”, comenta.

 

Além da visitação, o museu servirá também como fonte de pesquisas voltadas à biodiversidade local. O historiador e também policial civil de Laurentino, Edgar Paulo Baldo, fez a doação do seu acervo pessoal para o museu. Ele conta que o conjunto tem em sua maioria peças líticas. “São pontas de flechas, facas indígenas, moldadores de cerâmica de barro e peças de sílex que é uma rocha sedimentada, utilizada pelos indígenas na construção de armas”, disse.

 

O projeto do museu já vem sendo executado há três anos, por meio de um acordo de ação civil pública com recurso do Ministério Público. A Prefeitura fez a doação do terreno e ficará responsável pela manutenção do museu. O projeto envolve também o Conselho Municipal do Meio Ambiente que idealizou a proposta e ainda a Associação Ambientalista Pimentão que foi a entidade que recebeu o recurso e fez a prestação de contas.

 

Visitações

 

Segundo Avi o museu terá um horário especial de abertura no mês de novembro, devido a Festa do Queijo que iniciou na quinta-feira (7) e seguirá com a programação até domingo (10). “Nos demais finais de semana a abertura do museu será sempre aos sábados das 09h às 12h e das 13h às 17h. Agendamentos durante a semana serão realizados a partir do ano que vem diretamente com a Secretaria de Educação do município”, completa.