Por: diario | 11/02/2019

Em apelação sob a relatoria do desembargador Sérgio Rizelo, a 2ª Câmara Criminal do TJSC confirmou decisão do Tribunal do Júri da comarca de Brusque, no Vale do Itajaí, que condenou Sandra Maria Bernardes a 21 anos e quatro meses de reclusão, em regime inicialmente fechado, pelo assassinato do seu próprio companheiro, Amilcar Arnoldo Wehmuth (Chico). O idoso de 70 anos havia passado por uma cirurgia pouco tempo antes de ser morto.

Laudos periciais indicaram que a mulher de 55 anos ministrou dose letal do pesticida denominado Aldicarbe, mais conhecido como “chumbinho”, que causou intoxicação na vítima e desencadeou quadro de coma e insuficiência respiratória, causas de sua morte. O empresário de Brusque passou mal no dia 28 de junho de 2014 e morreu no dia seguinte.

A motivação para o crime, segundo denúncia do Ministério Público acolhida pelos jurados, foi econômica, já que a ré era a herdeira dos bens da vítima. Ela acreditava que, desta forma, seria a beneficiária de previdência privada, aposentadoria, seguros de vida e inventário da vítima.

Quer receber as notícias no Whatsapp? Clique aqui

Sandra Maria Bernardes, 55 anos, foi condenada a 21 anos e quatros meses de prisão | Foto Diplomata FM

Segundo o TJSC, as primeiras reações da mulher após a morte do companheiro foram a insistência em providenciar a cremação do corpo e a solicitação de prosseguimento dos processos de seguro de vida. A ré aguardou o julgamento em liberdade, mas será encaminhada para um presídio assim que esgotadas as possibilidades de recurso no âmbito do Tribunal de Justiça. A decisão foi unânime.

Amilcar era proprietário da empresa Quimisa S/A, foi presidente da Sociedade Esportiva Bandeirante e presidente do Brusque Futebol Clube. O empresário também atuou na política brusquense, como Secretário de Desenvolvimento Econômico entre 1991 e 1994 e também foi candidato a prefeito de Brusque no ano 2000.

Por Gabriel Junior
OCP News