Por: diario | 03/02/2018

Oficial da Polícia Militar, ativista de movimentos negros e LGBT. Esta é a pluralidade de ideias que ganhou espaço dentro de um movimento nacional que tem como principal objetivo renovar a Câmara dos Deputados, em Brasília. O movimento RenovaBR, lançado oficialmente na manhã dessa sexta-feira (2), foi idealizado por empresários e artistas globais, e consiste em um sistema de seleção de possíveis candidatos que estão passando por um período de capacitação, como também, receberão uma bolsa para subsidiar essas atividades.

O pró-reitor de Planejamento da Udesc de Ibirama, Leonardo Secchi (PSB), está em São Paulo, participando da primeira etapa de capacitação oferecida pelo movimento. Ele integra um grupo de seis catarinenses, que são Adriana Dornelles (NOVO), de Mafra, Jorge Cenci (DEM), de Blumenau, Israel Rocha (PSB), de Florianópolis, Alisson Julio (REDE), de Joinville e Arão Josino (PSD) de São José.

Segundo Secchi, os 100 selecionados do RenovaBR estão passando por uma capacitação política de duas semanas em São Paulo. “Já tivemos cursos sobre o papel do Legislativo, eficiência no setor público e liderança positiva”, explica. O movimento busca potencializar e acelerar novas lideranças para assumir protagonismo político em todos os estados do Brasil.

Desses 100 selecionados, 75 devem ser direcionados para concorrer a uma vaga na Câmara Federal e os outros 25 podem disputar vagas nas Assembleias Legislativas de seus respectivos estados. O escolhido da região do Alto Vale, destacou também a diversidade ideológica que ganhou espaço no movimento. “É um grupo extremamente diverso, temos coronel da PM, líder LGBT, professor universitário, portadores de necessidades especiais, líder do movimento dos caminhoneiros, líder do movimento das favelas, empresários liberais, etc. O que une o grupo é a vontade de aprender e praticar uma nova forma de fazer política com ética, transparência e defesa do interesse coletivo”, explica Secchi.

De acordo com o empresário Eduardo Mufarej, idealizador do RenovaBR, em entrevista à Globo News, outra proposta é garantir a representatividade de classe dentro do movimento. “Cerca de 27% do grupo é formado por mulheres, 32% de negros e pardos, sendo a grande maioria com formação em curso superior, inclusive, com graduação no exterior, em universidades americanas ou na Europa. São pessoas que querem dar sua contribuição para a política, mas não sabem como chegar até lá”, explica.

Uma das figuras mais conhecidas do quadro político nacional e que está inserida no movimento é Marcelo Calero (PSDB), ex-ministro da Cultura do governo de Michel Temer (PMDB), o qual ganhou evidência após acusar publicamente o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB), de tê-lo pressionado a produzir um parecer técnico para favorecer interesses pessoais.

Histórico do movimento

Cerca de 4 mil candidatos se submeteram a testes e entrevistas para estarem inseridos no programa. Apenas 100 nomes foram selecionados para receber bolsas, com valores que giram entre R$ 5 mil e R$ 8 mil, entre janeiro e julho de 2018, período pré-eleitoral, além de cursos de capacitação.
De acordo com Secchi, o RenovaBR é uma seleção de lideranças políticas comprometidas com o espírito público e com a construção de uma nova política nos estados e no Brasil. “Estamos recebendo apoio para construção de uma alternativa política para Santa Catarina. Foram mais de 4 mil inscritos de todo o país e cerca de 100 pessoas selecionadas. Muito orgulho de participar desse time de renovação da política brasileira”, finaliza.