Por: diario | 21/04/2018

Atendendo a solicitação do vereador Adolfo Fiedler, a Câmara de Vereadores de Ibirama aprovou na sessão de segunda-feira (16), a Moção de Apelo que será encaminhada à Secretaria de Estado da Saúde solicitando a adoção de providências imediatas em relação à paralisação de servidores da saúde, o que pode vir a prejudicar o atendimento ao público.

Em algumas ocasiões, desde março, os servidores estaduais da saúde estão realizando paralisação de uma hora nas unidades administradas pelo governo de Santa Catarina, inclusive o Hospital Waldomiro Colautti, de Ibirama, com o objetivo de reivindicar reajuste salarial e concurso público para contratação de profissionais e melhorias nas condições de trabalho.

O vereador destacou que os atendimentos de urgência e emergência não sofreram prejuízos, mas a situação pode se agravar nas próximas semanas se não houver entendimento com o Governo do Estado.

Vários vereadores ocuparam a palavra, destacando a legitimidade do pedido dos servidores. No entanto, alguns destacaram que é preciso cautela, pois o Estado está acima do limite prudencial com a folha, com esforço para tentar manter os pagamentos em dia.

Paralisação de terça-feira (17)

Os servidores públicos da saúde em Santa Catarina paralisaram as atividades mais uma vez nesta terça-feira (17) das 7h às 10h. A ação faz parte de uma agenda de paralisações do Sindicato dos Trabalhadores da Saúde Estadual e Privada de Florianópolis e Região (SindSaúde/SC).

A categoria reivindica reajuste salarial de 15,66%, concurso público para contratação de profissionais e melhorias nas condições de trabalho. Segundo o sindicato, desde 2016 não há negociação efetiva com a pasta.

Ao longo do mês, houve paralisação em 11 unidades administradas pelo governo de Santa Catarina, mas o secretário de Estado da Saúde, Acélio Casagrande, disse que até agora não houve qualquer prejuízo aos pacientes.

Receba primeiro as notícias do Jornal Diário do Alto Vale, faça parte do grupo de Whatsapp. Clique aqui