Por: diario | 27/06/2019

O deputado estadual Milton Hobus assumiu a presidência do PSD de Santa Catarina. Com apoio das bancadas estaduais e federais, teve o nome homologado pelo presidente nacional do partido, Gilberto Kassab. O então presidente, ex-deputado estadual Gelson Merisio, pediu desfiliação do PSD no dia 27 de maio. A nomeação de Milton como presidente do partido foi divulgada na terça-feira (25).

De acordo com Hobus, hoje, o objetivo principal é reorganizar o partido e ele afirma que as expectativas são positivas a frente do PSD. “Eu atendi uma convocação de todas as lideranças, de bancadas estadual, federal, as bancadas de prefeitos das lideranças dos municípios para que a gente pudesse dar uma contribuição no sentido de reorganizar o partido. Atendi o chamamento em função do comprometimento de todas as lideranças inclusive, compomos um diretório envolvendo lideranças de todas as regiões do estado comprometidas a ajudar a disseminar aquilo que a gente pensa dentro da política”, afirmou.

O político destacou ainda que estimular e trazer mais filiados ao PSD é uma das necessidades, e que para isso é necessário comprometimento das pessoas interessadas. “O PSD é um grande partido no estado, queremos estimular, é um partido que tem boas práticas relacionadas a gestão pública, tem muitos exemplos bons em Santa Catarina e nós queremos estimular pessoas de bem, pessoas competentes para se filiarem no partido, fazendo com que o PSD fique ainda mais forte e possa disputar a eleição de prefeitos na maioria das cidades catarinenses”, pontuou.

Questionado sobre o cenário eleitoral desfavorável nas eleições de 2018, Milton disse que não há como fazer um comparativo, mas que é importante e necessário destacar alguns pontos. “A eleição de governo passada foi totalmente atípica, uma eleição que foi pautada pela onda nacional, eu não consigo fazer um paralelo com eleições de 2018. O que a gente sente no eleitor é a vontade de votar em pessoas decentes, competentes e esse é perfil do PSD e isso que a gente defende”, argumentou.

Por fim, Hobus, finalizou dizendo que as práticas do partido refletem aquilo que de fato o cidadão e eleitor espera de todas as siglas. “Hoje os partidos políticos viraram basicamente um instrumento necessário para democracia, para poder disputar a eleição, eles não representam mais as pessoas e a sociedade e é preciso retomar esse protagonismo porque a democracia pressupõe que devemos ter partido e precisamos de pessoas com credibilidade participando e é isso que queremos, dar a nova cara do PSD. Pessoas comprometidas, dispostas a contribuir com a vida pública com capacidade para administrar, porque a vida acontece nas cidades onde a gente vive e a eleição do ano que vem é a mais importante de todas, pois se trata da vida das pessoas”, finalizou.