Por: diario | 14/06/2019

De volta a Rio do Sul, o mesatenista André Albuquerque recomeçou os treinamentos pela Fundação Municipal de Desportos (FMD) e inclusive já participou de um campeonato no fim de semana passado, conquistando o quinto lugar. O atleta, que iniciou na modalidade aos 11 anos, jogou seu primeiro campeonato em 2012 e desde lá nunca mais parou, hoje ele já conquistou quase 200 medalhas por todo o Brasil. Ele lembra que em 2014, com apenas 14 anos, mudou-se para Florianópolis e agora retornou para a cidade em que nasceu na expectativa de continuar conquistando bons resultados.

“Naquela época foi até um tanto difícil, porque a equipe era muito forte, isso em 2011, mas sempre tive interesse pelo esporte e comecei a me destacar. Em 2012 joguei meu primeiro campeonato estadual e já comecei bem, já nesse ano eu fiquei entre os cinco melhores do estado. Só que por Rio do Sul eu joguei apenas em 2012 e 2013 quando fiquei campeão por seções estaduais, mas em 2014 acabei mudando de planos e fui para Florianópolis, depois voltei para Rio do Sul em 2015”, comentou.

Em relação aos objetivos com o retorno e os novos projetos André disse que como a volta ainda é recente é um pouco mais difícil conseguir recursos, mas segue otimista realizando treinos diários de até três horas e pretende trazer novidades aos apreciadores da modalidade. “Os objetivos são grandes, faz duas semanas que voltei a jogar por aqui. Como já estamos na metade do ano, a questão de recursos para jogar não é tão simples, mas estou otimista para o próximo ano e com muitos projetos. Estou muito feliz por voltar a jogar por aqui, até porque estou fazendo faculdade em Rio do Sul e minha família reside aqui”, argumentou.

Questionado sobre as maiores dificuldades, o mesatenista disse que em Florianópolis ele tinha um técnico que acompanhava ele nos treinos e em 2015 quando voltou não. “A minha maior dificuldade era não ter um técnico me acompanhando no meu retorno eu tinha que me virar sozinho e treinar sozinho, desenvolver todo o treino, treinando pela FMD agora, tenho um treinador me acompanhando todos os dias”, pontuou.

Já sobre a motivação que recebe o atleta comenta que os patrocinadores contribuem muito para que ele possa de fato levar o tênis de mesa como uma profissão já que os gastos com a modalidade são altos, como por exemplo, a troca da borracha da raquete e a aquisição das bolinhas. “Só tenho a agradecer a Fundação Municipal de Desportos, juntamente com a Associação de Tênis de Mesa de Rio do Sul, ao técnico Gilberto Sardá e aos meus patrocinadores: Cachorro quente do Marquinhos, Vida Ativa, Postos Pilão, Borracharia Martins, Tratortec, FordSul e Dom Vitale. Eu não conseguiria voltar assim tão forte se não fosse a ajuda dessas empresas, eu me dedico a esse esporte como profissional, não sou aquele cara amador que vai apenas para jogar, eu me dedico em busca de resultados e quero trazer muitas conquistas para Rio do Sul”, pontuou.

O pai de André, Nilton Albuquerque, disse que sempre incentivou e incentiva o filho nesta modalidade e para ele o atleta leva o esporte a sério e esta sempre em busca dos melhores resultados. Ele destaca ainda que com certeza o filho estará competindo até para outros países. “Eu fiz de tudo pra ele, mas porque ele merecia mesmo. Além de excelente filho, sou fã dele porque é um guerreiro, se dedica muito ao tênis de mesa e joga muito, tenho certeza que vai deixar muitos rio-sulenses orgulhosos. Ele ainda não competiu fora do país, mas está é a pretensão dele. Já foi convidado pra jogar na Alemanha e Espanha, mas naquele momento estava focado nos estudos”, lembrou.

Próximas competições

O mesatenista, segue treinando e se prepara para um campeonato importante em julho, nos dias 20 e 21 na cidade de Balneário Camboriú, o BSL CUP de tênis de mesa com uma premiação de alto valor em dinheiro, além disso ele finaliza dizendo que o esporte mudou a sua vida. Otimista e focado ele pretende levar o tênis de mesa de Rio do Sul, para muitas cidades e voltar.

Tatiana Hoeltegbaum