Por: diario | 20/12/2018

A garota prodígio da capital do Alto Vale, Mahayla Aimê Sardá, retornou da viagem que fez na China, o país do Tênis de Mesa e voltou para casa com a mala cheia de experiências, novas técnicas da modalidade e muita história para contar. Agora, em terra brasileira, a mesatenista aproveita todo o aprendizado que adquiriu nesse um mês de viagem, para aperfeiçoar todo o seu conhecimento para participar da seletiva e entrar na Seleção Brasileira que acontece em São Paulo, em fevereiro de 2019. Mas para conquistar essa vaga não é tarefa fácil, o pai e treinador da modalidade, Gilberto Sardá, o conhecido Giba, afirma que irá tirar um pouco das férias da atleta, justamente para a pequena se dedicar aos treinos e trazer bons resultados para o clube.

“A Mah, teve uma semana de férias quando voltamos da China e duas de treino. A gente decidiu intercalar essas férias e os treinamentos para não sobrecarregar ela, então, optamos por descansar uma semana e treinar forte em duas”, explicou.

A viagem à China sempre foi um sonho de Giba, e assim como todo pai que zela pelo filho e só quer o melhor, com o treinador a história também não foi diferente. Segundo o Sardá, o plano neste ano era que a Mahayla fosse para o país do tênis de mesa aos nove anos e retornaria para lá aos 10.

Quer receber as notícias no Whatsapp? Clique aqui

“Fomos à China para comparar o nível técnico dela, porque no Brasil ela é uma das melhores, só que a nível mundial ainda não tínhamos esse feedback e por isso decidimos ir até lá, conhecer o país, a cultura e é claro o treinamento de lá que é surreal. A Mah teve um ótimo desempenho nos jogos, aprendeu muito e só recebeu elogios dos professores chineses. Ela está na média a nível mundial, mas queremos mais, queremos que ela seja a melhor do mundo também e por isso vamos nos dedicar diariamente aos treinos e competições, porque ela tem potencial e vai muito longe ainda”, frisou.

Já a protagonista dessa história, Mahayla Aimê Sardá ressalta que adorou a experiência fora do país.

“Sempre fui muito dedicada e decidida em meu objetivos, mas confesso que alguns dias antes da viagem não quis mais ir viajar, pois sentiria muita saudade da minha família e da minha mãe. Mas meu pai como sempre atencioso, me convenceu que tudo daria certo e que esses dias iriam passar rapidinho. Essa viagem foi melhor que eu imaginava, treinei forte, conheci pontos turísticos incríveis, como a Muralha da China, Cidade Proibida e recebi o carinho do povo chinês que até me elogiou e tirou foto comigo. Voltei para casa com muito conhecimento e é isso que levarei para as próximas competições”, finalizou.

Quer receber as notícias no Whatsapp? Clique aqui

Jéssica Sens