Por: diario | 28/04/2017

A Secretaria Municipal de Saúde de Taió, iniciou o ano de 2017 com uma demanda reprimida de quase duas mil sessões na área de fisioterapia, contando com alguns pacientes do ano de 2015. Essa demanda estava reprimida pois a Secretaria de Saúde conta com apenas dois profissionais especializados na área.

Com o objetivo de zerar a fila, foram contratados, em caráter de urgência, cinco profissionais terceirizados, para dar vazão à essa demanda reprimida, sendo que, até o final do mês de abril, estas quase duas mil sessões, terão custado aos cofres públicos um valor de cerca de 30 mil reais.

Segundo o Prefeito Almir Guski (PSDB), a administração municipal está buscando recursos junto ao Governo Federal e ao Governo Estadual para zerar as filas e para realizar investimentos semelhantes a este em outros setores dentro da Secretaria de Saúde, onde também há demandas reprimidas:

Essa contratações foram em caráter emergenciais para reduzir a fila, com a fila normalizada os atendimentos retornam aos cuidados de nossos profissionais efetivos pois nesse ritmo nossos gastos na saúde aumentaram, portanto, precisamos tomar algumas providências para que, no segundo semestre, continuemos atendendo menos, mas atendendo com eficiência. Estes cortes são uma questão financeira, mas daqui um tempo pretendemos fazer mais investimentos para baixar a fila de espera”, disse ele.

Últimas notícias:

Projeto de reforma é criticado na Alesc

Capital vive incertezas na segurança

Rua que liga Aterrado e Vila Adelaide será concluída em Pouso Redondo

Meta fiscal para 2017 será cumprida