Por: diario | 13/02/2020

 

As eleições municipais de 2020 estão se aproximando e as comitivas vêm alinhando os possíveis candidatos ao pleito. Em Ibirama o MDB já tem um nome confirmado para a pré-candidatura. O atual prefeito, Adriano Poffo, deve tentar a reeleição junto com o vice Jucélio José de Andrade.

 

Conforme Poffo, além da chapa majoritária, a articulação política para a candidatura de vereadores já está sendo trabalhada.

“Estamos levantando nomes para a Câmara. Podemos lançar 17, no entanto, 22 nomes já demonstraram interesse em representar a sigla”, comenta.

 

Nas eleições de 2016, o MDB chegou ao Executivo por meio de uma chapa pura, entretanto, de acordo com Poffo, o cenário pode ser diferente para o pleito de 2020. “

Temos uma proximidade grande com o PL que tem tudo para integrar o nosso time”, comenta. “É de nosso conhecimento que os partidos que foram oposição na eleição passada estão alinhando um novo grupo para as eleições deste ano”, completou.

 

O prefeito ainda afirma que o contexto da política em Ibirama está mudando.

“Ibirama vive em outro momento. As brigas partidárias estão sendo deixadas de lado e o objetivo vem sendo a gestão do município”, analisa.

 

Dificuldades do governo

 

As principais dificuldades do seu governo, conforme Poffo, foram as obras de grande impacto que iniciaram em gestões anteriores.

“O esgotamento sanitário é um exemplo disso. As tratativas iniciaram em 2012. Na gestão passada a obra foi iniciada e nós temos o objetivo de finalizá-la”, afirma.

 

O Parque Municipal e Centro de Eventos Manoel Marchetti pode ser considerado um exemplo de obra que atravessou mandatos.

“As obras estavam paradas há 11 anos. Conseguimos um financiamento junto ao Badesc e concluímos o parque que se tornou uma alternativa de lazer na cidade”, disse,

 

Auxílio partidário

 

Grande parte das ações realizadas no governo de Adriano Poffo, foi viabilizada por companheiros de sigla.

“O deputados Jerry Comper e Peninha não mediram esforços para auxiliar Ibirama. Foram mais de R$ 25 milhões de emendas que o governo levantou”, conclui.

Jorge Matias