Por: diario | 10/09/2018

O candidato ao governo estadual de Santa Catarina Mauro Mariani (MDB) afirmou durante entrevista ao Jornal do Almoço nesta segunda-feira (10) que a participação de seu partido nos últimos dois mandatos de Raimundo Colombo foi ‘periférica’, não integrando o núcleo de decisões. Como promessa, Mariani se comprometeu, caso eleito, a zerar a fila de cirurgias em hospitais no primeiro ano como governante.

Mariani participou da primeira entrevista feita pela NSC TV, afiliada da Rede Globo, com os candidatos ao governo estadual. Assista no vídeo acima. As entrevistas seguem até sábado (15) e, abaixo, há o cronograma.

Quer receber as notícias no Whatsapp? Clique aqui

Sem a caneta na mão

“Nas últimas eleições eu disputei a eleição para receber a indicação do meu partido, para que tivesse um candidato. Eu entendi que o MDB tinha que protagonizar o processo eleitoral e não ser sócio de um governo que, inclusive, o vice-governador, Eduardo Moreira, em alguns momentos da história, se posicionou falando que não fazia parte do núcleo de decisões do último governo do Raimundo Colombo. E ficou muito claro. O MDB fez parte do governo, mas quem tinha a caneta na mão, tomava as decisões era o núcleo dele [Raimundo Colombo]”, disse Mariani.

“O MDB teve participações periféricas e não no núcleo do governo. Tanto é que esse momento político propiciou a nossa candidatura”, completou.

Mariani disse que tem como prioridade apostar no modelo de gestão hospitalar feita pelas unidades filantrópicas e zerar a fila de cirurgias. “Estou convencido que o problema da gestão da saúde em Santa Catarina reside mais especificamente na questão hospitalar”, disse.

“O que nós não podemos é manter um modelo ineficiente, que consome o recurso público e não entrega serviço. Eu já disse, em um ano, na nossa gestão, nós vamos zerar com a fila de cirurgias, por exemplo. Todas elas. Pode anotar”, finalizou.

“Nós temos o modelo mais efetivo que é o modelo do hospital filantrópico. Nós temos grandes exemplos: o Hospital Regional do Oeste em Chapecó, o Hospital São José, de Jaraguá do Sul onde há a participação da sociedade na gestão”, exemplificou.

Quer receber as notícias no Whatsapp? Clique aqui

Polícia especializada

Caso eleito, Mariani diz que criará uma Polícia Civil especializada no combate ao crime organizado. No estado, já há a Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) que realiza a função, mas o candidato afirmou que é preciso um incremento no trabalho.

“[A Deic] faz, mas nós precisamos estar mais especializados. Pegar a bandidagem pela lavagem do dinheiro. Dos grandes problemas do crime organizado é a lavagem de dinheiro e como diz o americano: siga o dinheiro que você vai encontrar a solução”, disse.

“Nós vamos criar na Polícia Civil uma polícia especializada em investigar o crime organizado. E daí não é só polícia. Tem que ter técnicos da Polícia Militar e Civil e também tem que ter técnicos da Fazenda”, completou.

Programação das entrevistas

  • Segunda-feira (10) – Mauro Mariani (MDB)
  • Terça-feira (11) – Ângelo Castro (PCO)
  • Quarta-feira (12) – Gelson Merísio (PSD)
  • Quinta-feira (13) – Décio Lima (PT)
  • Sexta-feira (14) – Portanova (Rede)
Por G1 SC

Veja também as últimas atualizações: