Por: diario | 28/07/2018

Em intensa agenda pelo Estado e há poucos dias de ser homologado o pré-candidato ao Governo pelo MDB, o deputado federal Mauro Mariani cumpriu, nessa sexta-feira (27), agenda em Rio do Sul, onde participou do terceiro encontro macrorregional do partido. O evento, com o objetivo de apoiar Mariani, envolveu os 28 municípios da região.

Junto com os deputados Aldo Schneider (estadual) e Rogério Peninha (federal), Mariani também reuniu-se com prefeitos e apresentou suas propostas. Também participaram do evento o senador Dário Berger e os deputados Valdir Colatto e Celso Maldaner.

Um dos objetivos de Mariani é a busca pela eficiência. “A primeira coisa que deve se ter na Administração Pública é eficiência. Eu quando fui prefeito por duas vezes, tinha clareza dos objetivos que eu queria atingir e superei todos, com simplicidade, com foco no serviço entregue, ao cidadão, porque hoje se for analisar as estruturas de Governo, especialmente o do Estado e Federal, se criaram estruturas gigantescas, caras que parecem ter fim em si mesmo. Elas consomem todo o recurso público e não entregam em serviço à comunidade”, disse o pré-candidato ao Governo.

De acordo com ele, esse tipo de atitude deve acabar. “O foco tem que ser na prestação de serviço. Tem que ser pra entregar pra população aquilo que ela precisa. Santa Catarina é um Estado maravilhoso, referência em tudo. No Agronegócio, na indústria, na prestação de serviço, no turismo, essa excelência que nós temos aqui, não se transferiu pra dentro do Governo do Estado. E nós temos que fazer isso, esse é o grande desafio, ter a mesma referência que nós temos na gestão privada e na sociedade catarinense dentro do Governo. O governo está devendo à Santa Catarina”, disparou.

Mariani comentou que Santa Catarina vai muito bem, enquanto o Brasil cresceu 1%, o Estado creseu 4%. “A pergunta é, cresceu 4% por conta do Governo? Não. Cresceu 4% apesar do Governo porque o Governo não faz a sua parte. Nós temos déficit no Saneamento Básico, sendo um dos piores Estados nos índices do Brasil. A questão dos hospitais, nós temos 183 em Santa Catarina, destes 13 são de gestão do Estado, e esses consomem 70% de todos os recursos que vem para os hospitais pelo SUS. Alguma coisa está errada. Os outros 170 ficam com 30%. Há uma ineficiência clara, dita inclusive no relatório do Tribunal de Contas no ano passado e disse que só a ineficiência dos 13 hospitais públicos custou R$ 672 milhões. E nos não temos mais dinheiro pra jogar fora”, acrescentou.

Mauro comentou ainda que um dos objetivos é atacar os velhos problemas com novas formas. “Esquecer essa política antiga. De ocupação de espaço. Nós temos que ter uma política de entrega de serviços”, completou.

Coligação com o PSD

Em relação há uma possível coligação ou apoio ao PSD, Mariani afirmou que isso está fora de cogitação. “Está totalmente fora, não por nossa parte. Eu sempre fui contrário a composição com o PSD nas duas últimas eleições trabalhamos contra, porque eu sabia que isso ia acontecer. Os nossos grandes líderes nos diziam “vamos os apoiar agora que depois eles vão nos apoiar” e tá aí, não nos apoiam. E na verdade é uma ingratidão, não comigo que não acreditava, mas com aqueles que defenderam a coligação com eles. Nós vamos tocar o nosso projeto com bastante tranquilidade e simplicidade e com a certeza do objetivo que nós queremos chegar”, concluiu o pré-candidato.

Elisiane Maciel