Por: diario | 08/11/2018

Iniciou o período de matrículas escolares nas escolas da rede municipal e estadual em Laurentino. Vagas que são importantes para os pais que têm os filhos na pré-escola, pois esse será o momento de iniciar uma nova fase para a criança e toda a família. E foi essa preocupação de garantir uma vaga na escola escolhida e no período mais cômodo, que levou cerca de 50 pais a passaram a madrugada de quinta-feira (8) na Escola Honorata Stedille, em Laurentino.

Muitos pais levaram cadeiras, cobertas e travesseiros para encarar mais de 10h de espera para realizar a matrícula, como é o caso da mãe e professora Elisangela de Oliveira, que tem uma filha matriculada na rede estadual e a outra que está saindo da pré-escola. “Por questão de períodos e escola eu resolvi ir lá. E também por ser uma ótima escola, com ótimos professores, bem estruturada. Eu preferi assegurar a vaga da minha filha na escola, no período da manhã”, conta.

Ela conta que chegou após as 22h30 no local e saiu só na manhã do dia seguinte, por volta das 8h30. E que o guarda da escola organizava o nome dos pais que iam chegando em uma lista, para garantir a ordem de atendimento de todos. “Foi respeitada a fila, a diretora foi bem parceira também, porque se ela quisesse poderia ter deixado todo mundo do lado de fora”, comenta Elisangela.

A Escola Municipal Honorata Stedille tem três turmas ofertadas do primeiro ano e a estadual tem mais uma turma. A diretora Valdirene Renzi Rosa, explica que tem vagas para todos. “Temos no Educa Sim o registro de todos os alunos saindo da pré-escola no município, são 84. A nossa escola está oferecendo 75 vagas, 25 vagas por turma. Não podemos absorver toda a demanda de alunos e não deixar nada para a escola estadual. Mas os pais querem trazer o filho deles para cá”, conta a direto Valdirene. Ela conta também que a rede estadual optou por fazer a turma a tarde e por isso foram abertas duas turmas no período matutino na escola municipal.

Valdirene conta que ao ver que os pais estavam chegando para esperar pela matrícula, abriu as portas para atendê-los. “Eu recebi as mães, abri as portas. Começou a vir uma, outra, uma foi chamando a outra. Coloquei uma TV no pátio da escola porque disseram que iam passar a noite. Levantei as 4h e fui para lá fazer um café para eles”, conta.

As matrículas iniciaram nessa quinta-feira (8), às 7h, e todos que aguardavam foram atendidos e mesmo assim, ainda restam vagas para a turma do período matutino do primeiro ano. Valdirene comenta que a escola é bem vista na comunidade, o que explica a mobilização dos pais. “A nossa escola sempre foi bem vista. Nós temos aqui aulas de italiano, inglês, professores todos habilitados, temos um ensino de qualidade. Ela é procurada também porque atende só o Ensino Fundamental, não tem as séries finais do Ensino Médio. O que para os pais oferece mais segurança para os pequenos”, comenta.

Para a mãe Elisangela, a espera foi válida, pois garantiu a matrícula da filha no primeiro ano letivo. “Apesar de todo o cansaço, compensou, porque a gente conseguiu o que queria. Saímos de lá satisfeitos, conseguimos a escola que queríamos e defendo que deveria aumentar a oferta das turmas, ampliar a escola”.

Para Valdirene, é uma pena não conseguir atender à todos, mas pede a compreensão dos pais. “Eu como diretora me preocupo com a qualidade, a gente sempre segue as normas e não faz as coisas por fazer. Para deixar claro para os pais que se eu pudesse eu abriria vagas para todos eles, teria todos embaixo das asas, mas infelizmente a gente não consegue”.

Susana Lima