Por: diario | 05/10/2017

Na noite de segunda-feira (2), durante evento do “15 em Movimento”, realizado na Assembleia Legislativa de Santa Catarina, em Florianópolis, o deputado federal Mauro Mariani, presidente do PMDB de Santa Catarina, voltou a fazer fortes críticas à cúpula nacional do partido, denunciada pela procuradoria-geral da República.

Diante de mais de 300 filiados e líderes como o vice-governador Eduardo Pinho Moreira, o senador Dário Berger e o prefeito Gean Loureiro, Mariani voltou a defender a renúncia coletiva da Executiva Nacional. “Não podemos deixar que meia dúzia de pilantras envergonhem nosso partido e principalmente as pessoas que fazem parte da história do PMDB e das lutas pela democracia”, discursou ele, que chegou a pedir a renúncia dos dirigentes na reunião da Executiva Nacional, na presença do senador Romero Jucá.

Mariani convocou os delegados peemedebistas a estarem em Brasília em novembro para marcar posição a favor da construção de um novo PMDB. “Mais que mudar o nome, precisamos reformular a sigla de dentro para fora”, disse.

A unidade também marcou o 33º encontro regional promovido pelos peemedebistas. “O PMDB é essa força que reúne mais de 300 pessoas numa segunda-feira à noite, com chuva, para discutir política e falar de futuro. Meu candidato chama-se Mauro Mariani. E nós vamos enfrentar muita conversa fiada, pressões e opiniões divergentes para tentar nos dividir. Não vão conseguir, porque nós somos extremamente fortes quando estamos unidos”, afirmou o vice-governador Eduardo Pinho Moreira.