Por: diario | 08/05/2019

Há quatro meses à frente da Câmara de Vereadores de Rio do Sul, Marcos Norberto Zanis, o Marcão (PSD), fez nesta semana uma avaliação do mandato e adiantou alguns dos projetos que devem ser implantados na Casa. Entre a ações, se destacam a economia e também a preocupação com o meio ambiente.

O presidente disse que o foco durante todo o mandato será de exercer o trabalho com transparência, responsabilidade, economia e eficiência com a máquina pública. “Os munícipes já puderam verificar que esta gestão está sendo transparente e atuante em diversos atos ocorridos neste curto período de tempo. Em especial poso citar o processo de sindicância instaurado pela Câmara devido à algumas irregularidades apontadas ao controlador interno do Executivo, onde não houve qualquer omissão por parte dessa presidência, tanto na abertura do processo, quanto na tomada de decisão que se deu em menos de 30 dias”.

Quanto à economia e meio ambiente, Marcos contou que já foram tomadas algumas atitudes, como a redução na aquisição de garrafas pequenas de água, que agora são exclusivas para sessões e atos solenes. Dessa forma, além da preocupação com o meio ambiente, a atitude vai gerar uma economia de cerca de 50% do que era gasto com água para consumo “Unindo economia e preocupação com o meio ambiente, nós diminuímos a quantidade de garrafas e compramos na parte administrativa três bombonas com água gelada que servem para a cozinha, corredor e plenário, ficando determinado que cada servidor traga sua garrafinha e busque a água nas bombonas”.

Outra ação voltada ao meio ambiente, dessa vez pensando em modernização, é a implantação do Projeto Câmara Sem Papel, que deve ocorrer nos próximos meses e que torna os processos do Legislativo totalmente digitais. “Estamos sempre dando ênfase à modernização legislativa, buscando maior eficiência e agilidade, e uma das ações que deve ocorrer nos próximos meses é o projeto Câmara Sem Papel. Essa ação vai permitir que além dos procedimentos internos, que já ocorrem exclusivamente por meio digital, seja estendida para o processo legislativo, de modo que todo processo de tramitação desde o início até a aprovação final seja dada somente no meio virtual, sem a impressão de uma única folha de papel”.

Na próxima semana, a Câmara vai visitar uma cidade vizinha que aderiu ao projeto, para estudar a instalação em Rio do Sul. “Semana que vem vamos visitar uma cidade vizinha para ver como funciona e a gente quer a partir disso implantar aqui, porque vai trazer economia também e preservação do meio ambiente”.

Economia com diárias e cursos

Ainda sobre economia, Marcos disse que serão priorizados somente os cursos que sejam essenciais aos servidores. “Essa prioridade conta muito com a parceria dos servidores que também abrem mão de diárias e custeio de deslocamento para a realização desses cursos, o que contribui para maior economia”.

Neste ano, já foi realizado um primero repasse ao Executivo, para possibilitar a compra de armamento à Polícia Civil. “Com a economia gerada pela Câmara, conseguimos realizar o adiantamento de R$ 3 mil para o Executivo, para que seja repassado à Polícia Civil na aquisição de armamento para o uso do efetivo policial, através de um convênio com a 10º Delegacia Regional de Polícia”.

Com a economia das diárias e também com o cancelamento do contrato com a TV local, será possível fazer a construção da nova sede, que inclusive, já está em andamento. “O espaço aqui não é nosso e a ideia é que venham duas secretarias para cá, para economizarem com aluguel. Além disso, a Secretaria de Saúde deve ceder o espaço para a ampliação da Renal Vida, o que vai beneficiar toda a região”.

Elisiane Maciel