Por: diario | 1 mês atrás

Começou nesta quinta-feira (12) em Videira a etapa estadual da 19ª edição da Olimpíada Estudantil Catarinense (Olesc). A abertura, foi no Complexo Esportivo Sérgio Luiz Marafon e as disputas iniciam nesta sexta-feira (13), com a participação de 2.800 atletas com idades de 8 a 17 anos, de 82 municípios.
Até sábado, dia 21, a disputa será pelos títulos de 12 modalidades: atletismo, basquetebol, caratê, ciclismo, futsal, ginástica rítmica, handebol, judô, tênis, tênis de mesa, voleibol e xadrez.

Por questões de logísticas duas modalidades foram disputadas antecipadamente, a natação e a ginástica artística, realizadas em Palhoça e Blumenau, respectivamente.
Jaraguá do Sul foi campeã geral na natação masculina e Joinville no gênero feminino. Já na ginástica artística o título ficou com São Bento do Sul, entre os homens, e Florianópolis entre as mulheres.

A etapa estadual da Olesc é uma promoção do Governo de Santa Catarina, por intermédio da Fesporte, em parceria com a prefeitura de Videira.
Para a disputa da etapa estadual da Olesc os municípios participantes das modalidades coletivas passaram por etapas classificatórias como microrregionais e regionais.

Nas provas individuais, os municípios montam suas seleções com atletas mais bem ranqueados para disputar a etapa estadual, sem necessidade de passar pelas regionais.
Nesta Olesc, pela primeira vez será usado o sistema Braille nas medalhas e nos troféus, com os dizeres primeiro, segundo e terceiro para os participantes que conquistarem ouro, prata e bronze respectivamente. A novidade faz parte do processo de inclusão social adotado pela Fesporte este ano, que iniciou em julho com a implantação do pódio adaptado, já utilizado nos Jogos Escolares Paradesportivos de Santa Catarina (Parajesc) e no 1º Brasileiro de Jiu-Jitsu Paradesportivo.

Na edição 2019 da Olesc foram inscritos 9.960 atletas de 210 municípios. Para o presidente da Fesporte, Rui Godinho, participar da Olesc é ser ator de um dos eventos esportivos mais importantes do Estado. “Uma competição que nos últimos anos tem sido referência para muitos estados brasileiros. Ela é muito mais que gols e pontos. Por isso, vivenciar a Olesc em sua plenitude é poder vivenciar experiências, além quadra, únicas, com benefícios para a vida”, destaca o Godinho.