Por: diario | 1 mês atrás

Luana Abreu

 

Vigilância Epidemiológica da Gerência de Saúde do Alto Vale está em alerta depois do aparecimento de mais dois macacos mortos na região. Os animais, da espécie bugio, foram encontrados na semana passada em Trombudo Central e em Rio do Oeste. Nos últimos 30 dias já foram cinco mortes de macacos na região.

 

De acordo com a responsável pelo órgão, Josiane Verdi Schaade foi possível recolher amostras de vísceras para realizar exames laboratoriais que devem apontar as causas da morte. “Os dois animais morreram depois de serem agredidos, um deles por um cachorro. O exame vai identificar a causa da morte, já que não é comum os macacos virem para a área urbana do município e serem atacados por outros animais”, explica.

 

A Vigilância Epidemiológica aguarda o resultado de exames realizados em outros macacos que também foram encontrados mortos no Alto Vale, cinco no total, mas ainda não há previsão de quando o resultado será divulgado. Além de Trombudo Central e Rio do Oeste, mais dois animais apareceram mortos em Braço do Trombudo e um em Chapadão do Lageado. Destes cinco, foi possível recolher material para a realização de exames de quatro deles.

 

 

Gerência de saúde orienta vacina

 

 

A orientação da Gerência de Saúde é para que a população procure a vacina contra a febre amarela. Nos locais onde os animais morreram, há um trabalho feito pela equipe da saúde dos municípios que vai de casa em casa verificar a situação vacinal dos moradores. Caso ainda não tenham se imunizado contra a febre, as vacinas são aplicadas na casa do paciente.

 

Josiane alertou ainda da importância de comunicar a Vigilância Epidemiológica o mais rápido possível quando um macaco for encontrado sem vida. “Nós temos somente oito horas para fazer a coleta de vísceras para serem utilizadas nos exames que detectam a morte desses animais”.

Depois dos casos recentes de macacos encontrados mortos na região, aumentou o número de pessoas procurando a vacina, já que essa é a única forma de se prevenir contra a doença. Porém, ainda não é suficiente para que a região atinja a meta de 80% do público alvo imunizado.

 

 

Febre amarela

A febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda, causada por um vírus transmitido pela picada dos mosquitos infectados. Os sintomas iniciais são febre com calafrios, dor de cabeça intensa, dores nas costas, dores musculares, vômitos e fraqueza. Até o momento, não há casos registrados no Alto Vale.

 

Os macacos não transmitem a doença. Eles também são infectados pela picada do mosquito e se transformam em sentinelas para alerta em regiões onde o vírus da febre amarela está circulando.