Por: diario | 01/06/2013

Os testes já foram feitos e as placas de sinalização devem ser trocadas na próxima semana

Agora a velocidade permitida no trevo de Trombudo Central é de 50km/h. As lombadas já foram instaladas nos dois sentidos do trecho. Na quinta-feira (31) técnicos do Departamento Nacional de Infraestrutura e Trânsito (Dnit) fizeram testes nos dois equipamentos.

Na manhã de sexta-feira o sinal de aviso já era dado pelas lombadas. O engenheiro de tráfego do Dnit de Rio do Sul, Elifas Levi Nolasco Marques informou que não houve nenhum gasto a mais com a instalação desses dois equipamentos. “Uma lombada estava em Pouso Redondo, logo depois de uma lombada física, não tinha serventia naquele lugar. O que fizemos foi transportá-la para o trevo, a outra tínhamos em estoque aqui”.

A sinalização ainda continua com o aviso de 80km/h, isso também deve ser trocado na próxima semana. “Temos as placas em estoque aqui no Dnit, isso deve ser feito na próxima semana. A velocidade agora será de 50km/h. Esperamos que com a redução da velocidade os acidentes graves também não aconteçam mais”, afirmou Levi.

O engenheiro afirmou ainda que essa é uma solução paliativa. “Já sabemos que o problema vai ser resolvido de uma vez por todas com a construção do viaduto. A passarela não é necessidade naquele local, já que o problema existente ali é de acidentes graves, com óbitos e não de atropelamentos”.

Para o prefeito de Trombudo Central, Silvio Venturi, o viaduto é mesmo a solução. “Olha pelo tanto que nos esforçamos em conseguir o viaduto, acho que para esse ano a obra é praticamente impossível. Precisamos unir forças com os outros municípios que utilizam esse trevo como acesso para tentar modificar isso. Acho que as lombadas podem sim diminuir o número de acidentes, mas e o congestionamento que isso vai gerar… Ajuda por um lado, prejudica pelo outro”, desabafou Venturi.

Já para o engenheiro do Dnit isso não deve acontecer. “Acredito que as filas devem continuar iguais. Isso não prejudica de maneira nenhuma. Em horários de pico é normal o congestionamento ali; muitos querendo entrar no município e o fluxo na BR-470 aumenta muito. Então acho que isso não vai se tornar um problema. Mas, vamos trabalhar incansavelmente no segundo semestre para que essa obra de sobrelevação no trevo aconteça. Isso não é só um desejo dos municípios, mas também do Dnit”, finalizou Marques.