Por: diario | 13/01/2018

O vereador Francisco Goetten de Lima (PP), popular Chico, fez a avaliação do mandato como presidente da Câmara Municipal de Rio do Sul em 2017, e relatou as ações exercidas pelos vereadores.

De acordo com ele, a presidência foi de muito aprendizado e a equipe conseguiu trabalhar dentro do que havia sido planejado para o ano.

“Tivemos alguns ajustes internos na gestão, mudança de horário da câmara com melhor aproveitamento da equipe. A presidência teve o comando junto aos vereadores, então nós pudemos fazer uma gestão com a nossa cara. Por ser novo na Câmara, sendo o primeiro mandato, isso pode ter facilitado um pouco, pois pudemos fazer as mudanças que entendemos necessárias”, relatou Chico.

Ele disse ainda que algumas ideias tiveram que ser retiradas do plano, e para isso a importância de se ter parceria com a visão pública e privada, para obter essa adequação.

Economias

O vereador citou, que foi feita a devolução de cerca de R$ 2,8 milhões para os cofres do município. O valor foi alcançado após o aperto das contas e as medidas aplicadas pela mesa diretora. O valor foi distribuído para setores importantes, principalmente na área da Saúde. Desses, R$ 800 mil foi destinado ao Fundo Municipal de Saúde, onde R$ 400 mil foi utilizado para colocar em dia a folha de pagamento dos médicos do sistema público de saúde, atrasada em cerca de 3 meses, R$ 200 mil repassados à Comunidade Evangélica Luterana de Rio do Sul, entidade mantenedora do Hospital Samária, e outros R$ 200 mil à Fundação de Saúde do Alto Vale do Itajaí (Fusavi), responsável pela gestão do Hospital Regional Alto Vale.

O valor restante foi transferido para o caixa geral do município para pagamento de despesas diversas.
Chico disse que a economia realizada pela gestão de 2017 da Câmara Municipal, representa um recorde no município. Ele enfatizou o trabalho conjunto realizado pelos vereadores, que foi fundamental para que o Legislativo alcançasse essa quantia significativa.

“Todas as pautas foram liberadas, foi dado liberdade para todos os vereadores atuarem de uma forma bem democrática, todos tiveram vez e voz, e tiveram abertura. Todos os pedidos de informação que os vereadores quiseram fazer ao Executivo, foi dado andamento e em relação as pautas, principalmente no final do ano, conseguimos zerar todas. Quero parabenizar os vereadores pela eficiência, e que com a união de nossos trabalhos, conseguimos atingir os objetivos”, enfatizou.

Francisco adiantou que tem vários assuntos definidos que serão acompanhados com cuidado, como por exemplo, se foi feito bom uso do dinheiro público. “Isso vai ser a minha menina dos olhos”, brincou. A intenção é que com isso, a população seja melhor assistida, e que o gasto público seja feito de uma forma bem eficiente pra que o município tenha o maior retorno possível da gestão pública.

“Esse será um ano que minha bandeira de campanha vai estar na frente e será meu foco principal, que é “fiscalizar para fazer mais”. Defendi isso na campanha, fiz isso como presidente e vou continuar fazendo. Enquanto presidia era de forma inversa, eu me fiscalizava”, relatou. Disse ainda que essa fiscalização foi o grande norte que o guiou até o final do mandato.

Agora com as mudanças feitas, Chico afirma que os vereadores estão entrando em um processo mais livre e isso poderá representar melhor a população. “Vou continuar com minha bandeira e fiscalizar, todas as ações do governo anterior, governo atual, as obras, as secretarias, e estaremos mais em campo em contato com o povo , cuidando e observando as ações”, prometeu.

Francisco aproveitou para desejar a todos os colegas um bom ano, e disse que espera que o poder público consiga cumprir o plano de governo pelo qual foi eleito. “2017 foi de independência total para fazer uma boa gestão na Câmara de Vereadores, mas agora a gente tem um compromisso também que é pra ele dar certo, e queremos contribuir para isso e ajudar no que for necessário dentro de nossas limitações e conhecimento. Fazer com que esse governo possa surpreender com as ações e que possa chegar ao fim do ano, ou do mandato, com a sensação de dever cumprido” concluiu.

TV Câmara

Em dezembro houve a inauguração da TV Câmara Rio do Sul. Chico disse que estava sendo gasto de R$ 400 a R$ 700 mil ao ano, sendo que só para uma TV local terceirizada era repassado em torno de R$ 400 mil. “Tivemos algumas ações, no meu modo de ver, que às vezes a classe política trabalha de uma forma diferente, trabalha muito com a mídia e comunicação, que eu acho muito importante, e nós tivemos um ponto viável com essa TV e acabamos cortando gastos, que foi uma economia de aproximadamente R$ 400 mil com a TV local”, ressaltou.

O presidente comentou que antes era gasto em torno de R$ 36 mil por mês em divulgação. Hoje, com a TV Câmara, será gasto R$ 3 mil. A implantação toda custou cerca de R$ 35 mil, o que seria o valor de uma mensalidade do serviço terceirizado de comunicação.
“Agora teremos somente o valor da manutenção. Se considerarmos uma gestão de quatro anos do vereador, o total economizado será de mais de R$ 1 milhão”, completou.

Elisiane Maciel