Por: diario | 22/06/2018

A seção Barriga-Verde do DEM, presidida pelo deputado federal João Paulo Kleinübing (foto), divulgou a nota abaixo, protestando pelo fato de o nome do parlamentar, que é pré-candidato a governador, não ter sido incluído na pesquisa do Grupo RIC. O partido formalizou pedido neste sentido à empresa de comunicação no dia 22 de maio.
“Nota aberta sobre a pesquisa do Grupo RIC / Lupi e Associados.

Em 22 de maio de 2018, como é possível observar no documento abaixo, o Diretório Estadual do DEM encaminhou a RIC um pedido com o que considera básico para o bom exercício da democracia, com a inclusão do pré-candidato João Paulo Kleinüning, em toda e qualquer pesquisa realizada pelo grupo e que tivesse relação com as eleições 2018.
Nossa atitude foi balizada pelo fato de que desde o mês de março, nosso presidente estadual João Paulo Kleinübing (atualmente deputado federal, ex-prefeito de Blumenau por dois mandatos, ex-deputado estadual) vem colocando seu nome como pré-candidato ao Governo do Estado.

Desde então, o DEM reafirma sua convicção no nome e no trabalho realizado por Kleinübing, o que vem ganhando inclusive apoio de outras siglas, como o Partido Verde, que declarou apoio público ao projeto conjunto. Outro fator extremamente relevante é o bom desempenho do nosso pré-candidato nas pesquisas internas e mesmo nas realizadas por outras entidades, que vieram a público.

Mesmo não possuindo as grandes estruturas de outros postulantes, o DEM segue com um pré-candidato forte, reconhecido e experiente. O mesmo DEM que elegeu Vilson Kleinübing em 1990 e Raimundo Colombo em 2010.

Desta forma, a não inclusão no nome de João Paulo Kleinübing na pesquisa do Grupo RIC/ Lupi Associados causa, não apenas ao DEM, mas certamente à toda sociedade catarinense, profunda estranheza. Por que não incluir um nome estadualizado, de trabalho reconhecido e com pré-candidatura anunciada de forma pública? A quem interessa excluir nomes, mesmo após uma solicitação formal de inclusão em pesquisas?

Só nos resta lamentar o ocorrido e reafirmar nossa convicção de que, passadas as convenções partidárias Santa Catarina terá sim opção de voto para governador. E essa opção se chama João Paulo Kleinübing”.

Elisiane Maciel