Por: diario | 20/12/2018

O presidente da Câmara de Rio do Sul, James Rides da Silva (PSD), fez uma avaliação da presidência e disse que deixará o pleito com as metas atingidas. Entre as principais ações, ele destacou o mutirão de castração, realizado por duas vezes neste ano, a implantação do ponto biométrico e a economia que quase chegará aos R$ 3 milhões.

O presidente explicou que 2018 iniciou com capacitações dos funcionários efetivos e com algumas mudanças, que de acordo com ele, sempre são necessárias com a entrada do presidente nos dois primeiros meses. Além disso, no início do ano, foi instalado o ponto biométrico, para registrar os horários de entrada e saída dos servidores efetivos, assessores e vereadores.

“Isso regrou a Casa durante o ano e agora está dando os resultados positivos. No princípio gerou um pouco de resistência, mas nos últimos meses, muitos dos servidores e vereadores vieram me elogiar dizendo que agora realmente se tem o controle. A gente consegue tirar relatórios do horário de cada um e pode ressarcir quem tem horas a mais com folga ou com pagamento”.

Quer receber as notícias no Whatsapp? Clique aqui

Ele comentou também que além de ter sido uma novidade, é uma forma segura e dentro da legalidade de registrar os horários.

“E deve permanecer agora na Câmara para as outras legislaturas que virão, pois é uma forma de mostrar transparência e comprometimento com a comunidade, sabendo que nós temos que obedecer as normas como as de qualquer outra empresa”.

Economia chegará perto dos R$ 3 milhões

James contou que apesar das diferenças de partido, a Câmara conseguiu ter um ano de convivência “harmoniosa, afinal o Legislativo é um só”. De acordo com ele, essa união gerou alguns convênios com a Polícia Militar, onde foi repassado um valor para a aquisição de equipamentos tecnológicos para a Rede Catarina e Rede de Vizinhos.

“Conseguimos também trabalhar junto com a Polícia Civil fazendo o mesmo trabalho para aquisição de equipamentos, sendo que eles dependem de uma licitação estadual para fazer uma aquisição, então o recurso financeiro já está reservado, passamos para o Executivo e a partir do momento que tiverem este processo licitatório eles terão o dinheiro para a compra”.

Ainda da economia da Câmara, foi possível realizar neste ano dois mutirões de castração de animais abandonados, iniciativa que teve a parceria da Prefeitura, União das Associações de Bairros da cidade e da Associação Protetora dos Animais Desamparados (APAD). Foram quase 500 animais castrados nos dois mutirões, que de acordo com James, vai ajudar na saúde pública do município, já que com menos animais abandonados e sem vacinação a probabilidade de contrairem doeças é menor.

“Os animais de rua devem ser tratados como os de estimação, então foi uma questão de respeito e de controle também, onde tínhamos alguns bairros com dificuldade até mesmo de ter o trabalho do pessoal dos Correios, que não conseguia mais chegar nas residências”.

O presidente completou informando que neste ano foi criada uma Lei, chamada Astra, que leva o nome da cachorra de busca do Corpo de Bombeiros, que faleceu neste ano, e que torna obrigatório pelo menos um mutirão de castração ao ano.

Quer receber as notícias no Whatsapp? Clique aqui

James finalizou dizendo que a Câmara já fez alguns repasses e trabalhos desenvolvidos, mas que a devolução deste ano está chegando aos R$ 3 milhões.

“Passei a cuidar em 2018 do dinheiro público como se ele fosse meu e reuni várias vezes a Mesa Diretora para não acabar tomando nenhuma decisão sozinho, porque assim você acaba errando mais. Isso também foi uma linha bastante trabalhada com a Mesa Diretora, contador e nosso procurador jurídico, porque envolve uma série de fatores, até para não comprometer as próprias gestões. Somente em aplicações foram girados quase R$ 60 mil de juros, o que mostra que foi um ano de bastante êxito e cuidado”.

Elisiane Maciel