Por: diario | 12/04/2019

Ituporanga poderá ter novamente a Área Azul. Isso pode se tornar possível, depois de um pedido feito pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Ituporanga à Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Rio do Sul, para que a entidade faça o gerenciamento do estacionamento rotativo da cidade.

A cidade está sem o estacionamento rotativo desde 2017, quando a Administração Municipal anunciou que reincidiu o contrato com a empresa que executava o serviço de cobrança em função do não cumprimento contratual. De acordo com o presidente da CDL de Ituporanga Lucio Francisco Thomazelli, várias tentativas de conscientização dos comerciantes e funcionários foram feitas para que evitassem de estacionar nas vagas, mas, não obtiveram sucesso. “Aqui em Ituporanga nós temos um problema crônico em relação ao estacionamento. Nós tínhamos a Área Azul, depois foi fechada já faz quase dois anos, e no ano passado a gente tentou fazer um trabalho de conscientização dos comerciantes e funcionários, no sentido de que evitassem de colocar os carros nas frentes das lojas para liberar vaga para o cliente. Nós visitamos quase 200 estabelecimentos, distribuímos panfletos, fizemos entrevistas, passamos com som de rua, um trabalho bastante grande junto da Associação Comercial, para tentar minimizar o problema. E até surtiu um determinado efeito mas infelizmente depois de um tempo a ideia voltou ao zero. Aí tentamos de novo fazer um novo trabalho de conscientização, mas chegou num ponto que não teve mais condição”.

Lucio disse que neste período, a Apae de Ituporanga demonstrou interesse em gerenciar a Área Azul, mas que não assumiu por não possuir a estrutura necessária, o que levou a CDL à ir conversar com a presidência da Apae de Rio do Sul. “Então agora a gente decidiu ir conversar com a Apae de Rio do Sul, para conhecer o sistema e ver como funcionava, porque a gente soube que o sistema da Apae funcionava muito bem e só tinha elogios. Então nós conversamos com o presidente para que de repente a Apae de Rio do Sul gerenciasse o estacionamento aqui, já que a nossa Apae tem uma estrutura menor”.

O presidente ainda destacou que se o pedido se tornar realidade, Ituporanga teria várias vantagens com o gerenciamento. “Se eles implantassem aqui de uma forma similar à de Rio do Sul, teríamos a vantagem em ajudar entidades filantrópicas de Ituporanga e além disso, os custos seriam menores, pois a Apae de Rio do Sul já tem a estrutura administrativa toda, só precisaria contratar um grupo de monitores”.
Lucio disse que a Apae de Rio do Sul ficou de estudar as possibilidades e até o fim de abril apresentar uma resposta de como seria feito o encaminhamento. “Agora nós temos que ver qual vai ser a forma de apresentação, que provavelmente vai envolver outras entidades como Prefeitura e Câmara de Vereadores, então a ideia é juntar as entidades para conversarmos e definir como será procedido, já que 80% de nossos comerciantes é favorável, então há necessidade realmente”.

O Presidente da Apae de Rio do Sul, Ivan Concer, explicou que o modelo de gerenciamento já se tornou exemplo para várias cidades do estado e que por este motivo, a CDL de Ituporanga achou interessante firmar a parceria. “A CDL de Ituporanga entrou em contato conosco porque eles acham o nosso modelo interessante e por eles estarem com problemas da Área Azul que não conseguem ninguém para gerenciar. Eles tinham a empresa e tiveram problemas e desde este período eles não tem ninguém que faça este gerenciamento. E como a Apae de Rio do Sul há 20 anos é responsável pela Área Azul, nós trabalhamos de uma forma que está dando certo, funciona, então é um modelo interessante que muitas cidades do estado vem nos procurar para saber como é que funciona. E a CDL identificou que talvez pudesse fazer o mesmo modelo e nos consultaram para possivelmente estar ajudando”.

Ele disse que o assunto ainda será discutido por depender de Leis que autorizem a execução do gerenciamento. “Em Rio do Sul tem uma Lei Municipal que nos autoriza a cuidar do estacionamento da Área Azul e lá eles também precisam fazer esta Lei autorizando que a Apae possa gerenciar. E fora isso nós vamos discutir ainda todas as situações, de como vai funcionar, qual seria a nossa participação, e depois disso daí será feito toda a negociação”.

Recursos arrecadados são direcionados à entidades

Concer explicou que todos os recursos arrecadados com a Área Azul são destinados à folha de pagamento dos funcionários, que hoje são cerca de 30, e de todas as demais despesas inerentes ao controle de gerenciamento dos estacionamentos. Os recursos que sobram ficam para serem aplicados na área da saúde, da educação e assistência social. “Isso contando também que são repassados 30% desses valores para três entidades que são o Asilo São Vicente de Paulo, a Renal Vida e o Lar da Menina. E destacando que no ano passado a Renal Vida comprou uma máquina de hemodiálise com os recursos oriundos da Área Azul, ou seja, isso beneficia a população diretamente. Então todos esses recursos arrecadados voltam para a comunidade, eles não ficam com nenhuma empresa ou com alguém”.

Elisiane Maciel