Por: diario | 06/08/2019

Agronômica iniciou nesta segunda-feira (5), o processo de revisão do eleitorado que inicialmente não estava previsto, mas que foi determinado após um pedido do próprio Município junto ao Superior Tribunal Eleitoral (TSE). A atualização, que é obrigatória e está acontecendo na prefeitura, segue até o dia 31 de outubro.

De acordo com o vereador, Ivo Testoni, o pedido foi feito porque mais de 10% do eleitorado, que atualmente é de 4.141 eleitores, não reside mais na cidade, o que segundo ele, seria prejudicial nas eleições. “Há uma disparidade muito grande com os votos de fora, pessoas que vêm somente para votar nas eleições e isso decide uma eleição para prefeito, elege dois vereadores, o que é preocupante porque essa pessoa não participa da realidade do município, muitas vezes vem para cá para fazer um passeio”.

Ele lembra que em 2017 a Câmara de Vereadores e a União das Câmaras de Vereadores do Alto Vale do Itajaí (Ucavi) fizeram uma moção pedindo a revisão, mas na época não tiveram sucesso. Por isso, lideranças fizeram o pedido diretamente a um desembargador do TSE. “Essa revisão que está acontecendo agora na região foi determinada pelo Tribunal Regional Eleitoral e só contemplava cidades onde 80% ou mais da população é de eleitores, mas Agronômica estava abaixo de percentual, por isso pedimos diretamente ao desembargador e ele nos atendeu”.

O chefe de cartório da 102º Zona Eleitoral, Carlos Alberto Moraes, comenta que para fazer a atualização ou transferência de domicílio eleitoral é preciso apresentar apenas alguns documentos e o processo é bastante rápido. “O eleitor precisa trazer documentos pessoais como identidade, CPF, título de eleitor e um comprovante de residência atualizado”.

Para a atualização, a Justiça Eleitoral montou uma estrutura na sala de reuniões da prefeitura e cedeu alguns funcionários para trabalhar no local. O atendimento é das 12h às 18h e quem não fizer a revisão terá o título de eleitor cancelado.

Helena Marquardt