Por: diario | 14/03/2018

Com a redução de juros, inflação mais baixa e o aumento da massa salarial o varejo já apresenta melhoras. Em janeiro, as vendas cresceram 0,9% em relação a dezembro. Na comparação com janeiro de 2017, a alta foi de 3,2%, a décima taxa positiva consecutiva.

As oscilações nas vendas mês após mês, entretanto, ainda limitam a velocidade de recuperação de patamares recordes registrados pelo setor. O volume vendido pelo varejo está 8,1% abaixo do pico registrado em outubro de 2014. No varejo ampliado, que inclui as atividades de veículos e material de construção, as vendas estão 14,8% inferiores ao ponto máximo alcançado em agosto de 2012.

As revisões dos dados de vendas no varejo de dezembro do ano passado, que recuaram menos do que o estimado, foram motivadas pelo ajuste sazonal e pela entrada de novas informações fornecidas pelos participantes da pesquisa, especialmente os da atividade de supermercados. “Supermercados é um setor que tem muita empresa, uma atividade muito pulverizada”, explicou Isabella Nunes. O volume vendido em dezembro de 2017 ante novembro passou de uma queda de 1,5% para redução de 0,5%.

Varejo cresce

O varejo registrou crescimento em cinco das oito atividades pesquisadas na passagem de dezembro de 2017 para janeiro de 2018. Os dados da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontam que na média global o varejo cresceu 0,9%.

Os avanços mais relevantes foram observados em Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (2,3%) e em outros artigos de uso pessoal e doméstico (6,8%).

Os demais acréscimos ocorreram em Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (3,7%); Tecidos, vestuário e calçados (0,9%); e Livros, jornais, revistas e papelarias (0,3%).

Na direção oposta, houve recuo em Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (-2,5%); Móveis e eletrodomésticos (-2,3%); e Combustíveis e lubrificantes (-0,3%).

No comércio varejista ampliado, que inclui as atividades de veículos e material de construção, houve ligeira queda de 0,1% em janeiro ante dezembro. As vendas de Veículos e motos, partes e peças tiveram avanço de 3,8%, enquanto o material de construção registrou declínio de 0,2%.

Receba primeiro as notícias do Jornal Diário do Alto Vale, faça parte do grupo de whatsapp. Clique aqui