Por: diario | 01/02/2019

O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M), usado para corrigir a maioria dos contratos de aluguel de imóveis, registrou variação positiva de 0,01% em janeiro depois de recuar 1,08% em dezembro, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta quarta-feira (30). Com este resultado, o índice acumula alta de 6,74% em 12 meses. Em janeiro de 2018, o índice havia subido 0,76% e acumulava queda de 0,41% em 12 meses.

O índice encerrou o ano de 2018 com uma alta acumulada de 7,54%, acima da inflação oficial do país, medida pelo IPCA, de 3,75%. Em 2017, o índice teve deflação de 0,52%.

O IGP-M sofre uma influência considerável das oscilações do dólar, além das cotações internacionais de produtos primários, como as commodities e metais.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que mede os preços no atacado e que responde a 60% no cálculo do IGP-M, caiu 0,26% em janeiro após queda de 1,67% em dezembro. O grupo Bens Finais variou 0,52% em janeiro, contra 0,07% no mês anterior, com destaque para o item combustíveis para o consumo, cuja taxa de variação passou de -8,83% para -2,66%.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), relativo aos preços no varejo, que responde a 30% do cálculo, variou 0,58% em janeiro, ante 0,04% em dezembro. A principal contribuição partiu do grupo Habitação (-0,21% para 0,41%), com destaque para a tarifa de eletricidade residencial, cuja taxa passou -2,67% para -0,38%.

Já o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), que também é usado para calcular o IGP-M, mas com peso menor do que os outros subíndices, subiu 0,40% em janeiro, contra 0,13% em dezembro.